sexta-feira, 4 de agosto de 2017

É por isso que não me lembro de sonhos



Existem vários hábitos que nos impedem de lembrar o que nós sonhamos. Uma pesquisa mostra que os "não-sonhadores" são menos de 1%.

O mundo dos sonhos sempre fascinou a humanidade inteira, mas acontece frequentemente que nós não nos lembramos o que temos sonhado. Por quê? Esta pergunta é respondida por pesquisadores da Universidade de Berkeley, Califórnia, liderado pelo Professor Kelly Bulkeley, especialista em estudos de sonho.
www.emagrecerumdesafio.com
© azteca.com

Há muitos fatores que nos impedem de lembrar o que nós sonhamos. Primeiro de todos os distúrbios do sono, como apneia do sono e insônia, mas também o estresse, álcool e abuso de drogas.

Mas há mais: despertar abruptamente tem o efeito de exclusão do sonhos. Em suma, o maior obstáculo para se lembrar é o despertador que nos desperta de repente. Nós nos levantamos da cama e começamos a nos concentrar no que está por vir durante o dia. Um reavivamento deste tipo torna possível se lembrar do sonho praticamente impossível.

Mas há pessoas que afirmam nunca se lembram sonhos, e que não fumam, não bebem, não colocam o despertador, não estão estressados. Assim afirmam não sonhar, indo contra a teoria geral de que todos sonhamos. O especialista James Páginas em um projeto de dois anos mostrou que os "não-sonhadores" são realmente menos de 1% da população. Eles também são geralmente desempregados e sem interesses criativos.

Uma maneira de lembrar dos sonhos é começar a fazê-lo como uma tarefa. Quando você acordar deve se esforçar para escrever imediatamente o que sonhou. Desta forma - na ausência de fatores de risco - quase todos nós podemos nos lembrar.

A pesquisa sugere um fato: pessoas mais interessadas em lembrar seus sonhos são mais propensos a ter sucesso.

Fonte: MSN/Saúde

Até a próxima


segunda-feira, 31 de julho de 2017

Hábitos de arruínam a saúde do seu coração



Coração: esta máquina que em cada minuto bate 70 a 80 vezes, não pára enquanto dormimos e que responde prontamente às necessidades.

O rastreio e o diagnóstico médico são fundamentais para avaliar o risco que se corre de vir a ter uma doença cardiovascular. Quanto mais precoce é o diagnóstico, maiores são as possibilidades de impedir o aparecimento ou o agravamento de doença cardiovascular.

Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América, revela que uma frequência cardíaca de repouso elevada pode denunciar um aumento do risco de doença cardiovascular. Após acordar, meça a sua pulsação em silêncio. Não necessita de mais do que um minuto para o fazer. Um resultado superior a 70 batimentos por minuto pode ser sinal de que o coração poderá estar em esforço. Se for o caso, consulte rapidamente o seu médico. 


Não dormir bem e não dormir as horas suficientes.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Não incluir vegetais verdes na alimentação diária.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Não treinar com regularidade e cair no erro de fazer treinos demasiado intensos nas poucas vezes que movimenta o corpo.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Beber mais do que duas doses de bebidas alcoólicas por dia.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Comer quase sempre carboidratos simples e não complexos.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Não conseguir relaxar, ignorar o stress e deixar a raiva permanecer.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Consumir demasiado sal, especialmente o que vem escondido.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Comer demasiados alimentos enlatados e processados.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Comer demasiado açúcar, especialmente aquele que vem nos alimentos processados.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Fumar ou partilhar espaços com fumantes.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Não dar ouvidos aos sinais que o corpo dá.
www.emagrecerumdesafio.com
© iStock


Fontes: MSN/Saúde, Revista Prevenir

Até a Próxima