Mostrando postagens com marcador saúde mental. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador saúde mental. Mostrar todas as postagens

sábado, 15 de julho de 2017

Exercício físico faz bem ao cérebro


Há várias décadas se acumulam evidências indicando os benefícios da atividade física, tanto aeróbica como de força (ou resistência), na função cognitiva, tempo de reação e memória, entre outras propriedades.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto: Pinterest

Um estudo publicado no British Journal of Sports Medicine concluiu que a combinação de exercícios aeróbicos com exercícios de resistência contribui para estimular o cérebro de pessoas com mais de 50 anos. Segundo os investigadores, o exercício físico nas pessoas mais velhas constitui um meio promissor de retardar ou afastar o declínio de saúde mental e das capacidades cognitivas. Os exercícios aeróbicos refletem-se nas capacidades cognitivas, enquanto os de resistência têm efeitos na memória.

À medida que envelhecemos, a produção das substâncias necessárias para o crescimento de neurônios (como a BDNF) diminui. Isso causa uma redução na produção de neurônios e menor ligação entre eles. É aqui que o exercício pode ajudar. 

Quais são os melhores esportes para o cérebro?

A maior parte dos estudos concluíram que os exercícios aeróbicos, que usam o oxigênio para produzir energia (como correr, caminhar, andar de bicicleta ou nadar), são os melhores para o cérebro porque ajudam o coração a bombear mais sangue. Com isto, haverá melhor oxigenação dos cerca de 100 mil milhões de neurônios que temos.

O exercício fornece um estímulo sem paralelo: cria um ambiente no qual o cérebro está pronto, disponível e apto a aprender.

Fonte: CNN, Revista PH
Até a próxima


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Comprimidos de magnésio combatem a depressão, segundo estudo



→ Tomar uma dose diária do mineral facilita a depressão sem causar efeitos colaterais.
→ Cerca de 61% dos participantes do estudo declaram que irão usar os suplementos no futuro.
→ Magnésio combate a inflamação, a que está ligada ao transtorno de saúde mental.
→ Melhorias ocorrem independentemente do paciente da idade, sexo ou uso de antidepressivos.
Imagem: Pixabay
Uma nova pesquisa feita pela Universidade de Vermont, nos Estados Unidos da América revela que comprimidos de magnésio melhoram significativamente a depressão em apenas duas semanas.

Ao contrário dos antidepressivos, tomar uma dose diária do mineral facilita a condição de saúde mental sem causar efeitos colaterais, acrescenta a pesquisa.

O autor do estudo Emily Tarleton da Universidade de Vermont, disse: "Os resultados são muito encorajadores, dada a grande necessidade de mais opções de tratamento para a depressão, e nossa constatação de que a suplementação de magnésio fornece uma abordagem segura, rápida e barata para controlar os sintomas depressivos". 

Para o estudo, os investigadores analisaram o caso de 126 adultos com idade média de 52 anos, diagnosticados com depressão que ia de nível leve a moderada. Alguns dos participantes receberam 248 miligramas de magnésio todos os dias durante seis semanas – considerada uma dose baixa.

Os comprimidos foram tolerados sem efeitos colaterais, o que pode significar um avanço no tratamento da doença, já que os medicamentos de combate à depressão causam frequentemente náuseas, aumento de peso e insônias.

Cerca de 61% dos participantes do estudo disseram que iriam usar suplementos de magnésio para gerenciar sua depressão no futuro.

Fonte: MSN/Daily Mail

Até a próxima


quinta-feira, 24 de março de 2016

10 alimentos para a sua saúde mental



Todo tipo de alimento já foi associado a algum benefício. Há várias dietas para prevenir milhares de condições – ou então para melhorar algum atributo – por exemplo, há quem coma peixe para ficar mais inteligente, por causa do ômega 3.

www.emagrecerumdesafio.com
Imagem CNN

Embora não exista tratamento atual que comprovadamente cure a doença de Alzheimer ou a demência, estudos dizem que existem alimentos que desempenham um papel positivo na saúde mental em geral. Quer experimentar uma dieta para um cérebro saudável? Confira a lista abaixo.

Amoras

Todo mundo sabe que quanto mais velho ficamos, mais difícil fica aprendermos coisas novas. E por quê? Para processar novas informações, as células do nosso cérebro precisam “conversar” umas com as outras. Quanto mais velhas elas ficam, mais inflamam e mais difícil fica para elas se comunicarem. A solução? As maravilhosas amoras possuem potentes antioxidantes conhecidos como polifenis que diminuem essa inflamação e incentivam a comunicação entre os neurônios, melhorando a nossa capacidade de absorver novas informações.

Café

Alguns pesquisadores acreditam que a cafeína e os antioxidantes do café são protetores. Um estudo finlandês com mais de 1.400 consumidores de café revelou que as pessoas que bebiam entre três e cinco xícaras de café por dia (com idade entre 40 e 50 anos) tinham 65% menos chance de desenvolver mal de Alzheimer em comparação com os que tomam menos de duas xícaras por dia. Vamos fazer um cafezinho?

Maçãs

As maçãs são a fonte principal de quercetina, um químico de plantas antioxidantes que mantém os fluidos mentais protegendo as células do cérebro. A quercetina também defende as células do cérebro de atentados de radicais livres que podem danificar o revestimento exterior dos neurônios e, eventualmente, levar ao declínio cognitivo. Se quiser aproveitar bem, coma as maçãs com casca, local onde se encontra a maioria da quercetina.

Chocolate

Em 2009, um estudo descobriu que comer pouco menos de 10 gramas de chocolate por dia ajuda a proteger contra perda de memória relacionada à idade. O crédito vai para os polifenóis do cacau, que aumentam o fluxo sanguíneo para o cérebro.

Canela

Um dos sintomas do mal de Alzheimer são as placas beta-amilóides, bem como o “emaranhado” no cérebro causado por proteínas que podem matar células do cérebro. Agora, pesquisas recentes da Universidade da Califórnia revelam que dois compostos da canela – proantocianidinas e cinamaldeído – podem inativar estas proteínas. A pesquisa ainda está no começo, mas se não ajudar, uma pitada de canela também não vai fazer mal nenhum a ninguém.

Espinafre

As folhas verdes do espinafre possuem nutrientes como folato, vitamina E e vitamina K, que impedem a demência. Um estudo de 2006 revelou que comer três porções de folhas verdes, vegetais amarelos e/ou crucíferos por dia pode atrasar o declínio cognitivo em 40%. Desses três itens, as folhas verdes são as que mais protegem. Tente regar seu espinafre com um pouco de azeite. Sua gorduras saudáveis aumentam a absorção das vitaminas lipossolúveis E e K.

Azeite extra virgem

Já ouviu falar em ADDLs? Elas são proteínas induzidas pela doença de Alzheimer que são tóxicas para o cérebro. Nos estágios iniciais da doença, elas “grudam” nas células do cérebro, tornando-as incapazes de se comunicarem umas com as outras e, eventualmente, levando à perda de memória. O azeite extra virgem pode ser um inimigo potente contra ADDLs, pois é rico em oleocanthal, um composto que desativa as perigosas proteínas.

Salmão

O salmão é uma grande fonte de DHA, uma gordura ômega-3 predominante no cérebro, que os pesquisadores acreditam que protege contra a doença de Alzheimer. É também a fonte número um na natureza para obter vitamina D, um nutriente que protege contra o declínio cognitivo. Um estudo de 2010 revelou que os idosos que têm deficiência de vitamina D são 40% mais propensos a sofrer de perda de memória relacionada à idade. Melhor comer um salmão, não?

Caril ou Curry

A cúrcuma, uma prima do gengibre, é uma das principais especiarias do caril (ou curry). A cúrcuma é especialmente rica em curcumina, um composto que inibe a doença de Alzheimer. Ele não só bloqueia a formação de placas de amilóide beta, como também impede a inflamação dos neurônios e reduz o colesterol que entope as artérias (o que poderia reduzir o fluxo sanguíneo para o cérebro).

Suco de uva concórdia

Os mesmos polifenois saudáveis para o coração no vinho tinto e no suco de uva, especialmente na variedade feita a partir de uvas vermelhas e roxas do tipo concórdia, podem também proteger seu cérebro. Pesquisadores descobriram que idosos com declínio de memória que beberam suco de uva diariamente melhoraram significativamente sua memória espacial e sua habilidade de aprendizagem verbal. Os pesquisadores acreditam que, como as amoras, os polifenóis do suco de uva melhoram a comunicação entre as células cerebrais. (CNN)



Até a próxima