Mostrando postagens com marcador menopausa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador menopausa. Mostrar todas as postagens

domingo, 6 de agosto de 2017

Por que suamos muito enquanto dormimos?



Você provavelmente já terá acordado encharcado de suor à noite, e perguntado: "Por que suar tanto?". Se este fenômeno se repete várias vezes a causa deve ser razões médicas. Mas por quê? Dependendo da idade ou sexo, eles podem ser diferentes. Aqui estão algumas delas.
www.emagrecerumdesafio.com
© CNN

A temperatura do corpo e do ambiente

A razão mais comum para a transpiração excessiva durante a noite é devido a um aumento na temperatura do corpo, que por sua vez é devido a um ambiente muito quente. Se o calor é muito e você vestir pijama de flanela e está aninhado no edredom, não se surpreenda a suar. É ainda totalmente normal. É por isso que os cientistas recomendam dormir nu.

Mas há mudanças naturais na temperatura do corpo quando dormimos. Durante certas fases do sono, o sistema nervoso autônomo (que regula a temperatura corporal, ritmo cardíaco, a pressão arterial e outros fatores) pode variar e nos faz suar. Não há muito a fazer, é nosso corpo que funciona ...

Os distúrbios do sono

Isto não é uma surpresa se nós dissermos que os distúrbios do sono aumentam a transpiração do corpo.

♦ E o mais comum é a apneia do sono. Tendo dificuldade para respirar durante o sono fazemos um pouco mais de esforço o que provoca sudorese intensa, normal. É como quando você se exercita: a respiração mais sustentada ou incomum faz você suar mais, é normal. As crianças (crianças especialmente) podem ter dificuldade para respirar durante a noite. Eles podem, em seguida, agitar e acordar transpirando muito.

♦ As mulheres podem ser afetadas por ondas de calor durante a menopausa que, portanto, aumenta o risco de suor à noite.

♦ O álcool também é perturbador na temperatura do corpo durante o sono. Na verdade, é um relaxante muscular que afeta o trato respiratório e, assim, provoca ronco apneia do sono. Conclusão, suores noturnos podem ser ligados ao consumo de álcool.

♦ Finalmente, os últimos distúrbios do sono e não menos importante, os pesadelos e ansiedade. Eles também são ataques provocativos de pânico. E sim pânico provoca suores. Pesadelos repetidamente, especialmente durante um distúrbio de estresse pós-traumático (TEPT) pode ser tratada e não deve hesitar em consultar especialistas. As crianças também são afetadas por terrores noturnos que os tornam muito suadas mais do que o habitual.

Outras causas médicas

Infecções, medicamentos (antidepressivos, insulina, hormônios ...), hipertireoidismo, diabetes (hipoglicemia causada por drogas), doenças que afetam o cérebro ou o sistema nervoso ... Há uma série de razões que causam suores noturnos. Mas sudorese crônica pode exigir uma análise mais aprofundada. Especialmente se perceber outros sintomas em adição a esta alta transpiração. Por isso, é importante consultar um médico se não melhor em tempo relativamente curto.

Fonte MSN/Saúde

Até a próxima

terça-feira, 7 de junho de 2016

Como lidar com as variações hormonais



A TPM (tensão pré-menstrual), a menopausa e a gravidez são alguns dos momentos que a mulher passa por uma série de mudanças hormonais. 
Imagem: PontoXP

A atividade hormonal influencia desde o sono até ao apetite, passando pelo estado de espírito e pela memória.

Além de ter como consequências hepatite, cálculos biliares, dificuldade de absorção dos alimentos e até mesmo calvície precoce, é preciso que a mulher saiba como lidar com as variações hormonais emocionais.

Entre eles, estão os sintomas da depressão, irritabilidade, sensibilidade ao frio e baixa libido e mesmo o ganho de peso. O que fazer, então, quando você passar pelas alterações dos hormônios é saber qual a causa e identificar os sintomas. Na menopausa, por exemplo, um dos tratamentos é a reposição hormonal, o qual também pode resultar em muitos efeitos colaterais para algumas mulheres.

Quando é preciso como lidar com os efeitos das variações hormonais da TPM, por exemplo, o melhor é relaxar, pois é por um curto período que os sintomas se manifestam e nem sempre é preciso fazer uso de medicamentos. Chás calmantes são algumas opções, mas nunca exagere na quantidade, senão pode provocar alterações na pressão.

Durante a gravidez também existem as variações hormonais, sendo que sentimentos de culpa, tristeza e até mesmo depressão são comuns. Já que esse é um momento muito delicado para algumas mulheres, os sintomas potencializam-se. Uma alimentação saudável, balanceada com as substâncias que fazem bem ao seu bebê, como ácido fólico e ferro, bem como a prática de exercícios leves ajudam a amenizar os sintomas comuns da gestação.

O que fazer com as alterações dos hormônios da menopausa

Já quando as mudanças hormonais são consequência da menopausa, além da reposição hormonal, confira outras dicas mais saudáveis para amenizar os sintomas desse período:

➙ A alimentação sempre pode ajudar ou potencializar sintomas em diversas circunstâncias, o mesmo acontece durante a menopausa, sendo que o indicado é ingerir alimentos ricos em soja e inhame, uma vez que são fito hormônios que possuem pequenas concentrações do mesmo hormônio que os ovários produziam, dessa forma, colaboram na redução dos sintomas da menopausa. Porém, dê preferência à soja orgânica.

➙  Beba leite e coma os seus derivados para combater a osteoporose, que é também uma das consequências da menopausa. Ingira sempre muita água para evitar o ressecamento da pele e dos cabelos e faça atividades físicas, pois liberam a endorfinas na corrente sanguínea e proporcionam a sensação de bem estar.

➙ Acupuntura, massagens e tratamentos naturais, como florais, homeopatia, entre outros, também são benéficos para as mulheres que estão na menopausa e em outros momentos em que há variações hormonais em seu organismo.


Até a próxima


domingo, 8 de maio de 2016

Qual é a quantidade de laticínios que se deve comer, diariamente, na chegada da menopausa?



Os alimentos considerados funcionais (que trazem benefícios à saúde) são inúmeros e, além dos benefícios antes e durante a menopausa, trazem efeitos preventivos sobre diversas doenças.
Pixabay

Na menopausa aumenta a propensão para a perda de densidade óssea, que pode predispor para uma osteopenia ou osteoporose. Manter uma boa densidade óssea nessa fase é crucial. Os ossos não são só constituídos por cálcio, mas também por fósforo, magnésio, vitamina K e vitamina D. O exercício físico é também fundamental na preservação da massa óssea.

No que se refere ao aporte de cálcio, o leite de vaca é uma fonte primordial em termos de qualidade e disponibilidade, contudo, muito se tem questionado o consumo de lácteos bovinos, uma vez que parecem estar associados a diabetes, obesidade, alguns tipos de câncer e, nomeadamente, osteoporose.

Há muitos outros alimentos com uma boa quantidade e disponibilidade de cálcio: todos os tipos de couves, brócolis, salsa, feijão branco, amêndoas, agrião, rúcula, sésamo e chia. Por isso, é incorreto pensar em aumentar o consumo de leite para prevenir a osteoporose quando existem outras boas fontes de cálcio na nossa alimentação.


Fonte: Revista PH/UOL

Até a próxima

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Suores noturnos quais são as causas?



Acorda encharcada de suor. Você não estava soterrada por cobertores, mas a impressão que tem é de que esteve em uma sauna, então o que está acontecendo?
www.emagrecerumdesafio.com
Quando é que devemos nos preocupar com a sudorese noturna? Foto: Victoria Roberts/NYT
De acordo com um estudo publicado no The Journal of Family Practice, suores noturnos são muito comuns. Dos 2.267 pacientes de cuidados primários que participaram, 41% relataram vivê-los no último mês e esse percentual é provavelmente maior no mundo real, uma vez que muitos pessoas não comunicam o problema ao seu médico, referem os autores do estudo.

"Para as mulheres, a causa mais clássica de suores noturnos é baixo estrogênio ou flutuação dos níveis de estrogênio", diz Prudence Hall, MD, fundador e diretor médico do Centro de Hall, em Santa Monica. "Isso ocorre após o nascimento de um bebê, uso da pílula anticoncepcional, perimenopausa e menopausa. Todas essas condições têm níveis baixos ou flutuantes de estrogênio, resultando tanto em suores leves ou aqueles extremos que causam o encharcamento da roupa."

O que é pior, aumenta a pressão em seu stress, o que pode levar à fadiga, depressão e ganho de peso, diz Hall, por isso é melhor consultar o seu médico e obter os exames de sangue específicos. "Muitas vezes, se não for grave, a doença pode ser tratada com reposição hormonal e suplementos", diz ela.

Os medicamentos são outro grande gatilho para a sudorese noturna: Até 22% das pessoas que tomam medicamentos antidepressivos experimentam suores noturnos, diz Carolyn Dean, MD, autor de Hormone Balance: Guia de uma mulher para Restaurar saúde e vitalidade.

Além disso, há a baixa de açúcar no sangue. As pessoas que tomam insulina ou medicamentos orais para diabetes pode ter hipoglicemia durante a noite que é acompanhada de sudorese, diz ela. Se você acha que a sua medicação é a razão pela qual você está suando em seu sono, converse com seu médico sobre ajustar a sua dose ou considerar outras opções de tratamento, diz Joel Schlessinger, MD, dermatologista.

A situação de transpiração também pode ser causada por uma condição chamada hiperidrose, onde a produção regular de suor é aumentada, sem quaisquer causas médicas identificáveis. "Normalmente, as pessoas com esta condição suam áreas específicas do corpo, enquanto o resto do corpo permanece seca", diz Schlessinger. "Essas áreas podem incluir a palmas, pés, axilas, ou na cabeça." Entretanto, os sintomas de hiperidrose não atacam apenas à noite por isso, aconselha-se um consulta com seu dermatologista.

No final e grave, suores noturnos podem ainda ser um sinal de infecção ou outra doença subjacente, tais como infecções bacterianas, a tuberculose, o HIV, leucemia, e câncer (particularmente linfoma), diz Schlessinger. Mas não é caso para surtar, ainda. Uma pessoa com uma condição não diagnosticada normalmente experimenta outros sintomas além de suores noturnos, tais como perda de peso inexplicável e febres.

O que você pode fazer para ajudar a reduzir imediatamente suores noturnos 

Comece por ajustar o termostato, usando leve pijama, colocando um ventilador em seu quarto, e evitar fatores desencadeantes conhecidos como alimentos picantes e álcool, diz Schlessinger. Também pode ajudar a diminuir a gravidade dos suores noturnos, através de respiração profunda e exercícios. Mas se os suores noturnos estão acontecendo com muita frequência que você simplesmente fica deveras incomodado, não deixe o problema ampliar-se, procure seu médico.


Referências: womenshealthmag.com

Até a próxima


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Alterações hormonais, como lidar com elas?



A TPM (tensão pré-menstrual), a menopausa e a gravidez são alguns dos momentos que a mulher passa por uma série de mudanças hormonais. Alguns sintomas como hepatite, cálculos biliares, dificuldade de absorção dos alimentos e até mesmo calvície precoce podem ocorrer e, por isso, convém ter orientações para lidar com essas variações hormonais.
Foto: Shutterstock
Entre eles, estão os sintomas da depressão, irritabilidade, sensibilidade ao frio e baixa libido e mesmo o ganho de peso. O que fazer, então, quando você passar pelas alterações dos hormônios é saber qual a causa e identificar os sintomas. Na menopausa, por exemplo, um dos tratamentos é a reposição hormonal, o qual também pode resultar em muitos efeitos colaterais para algumas mulheres.

Quando é preciso como lidar com os efeitos das variações hormonais da TPM, por exemplo, o melhor é relaxar, pois é por um curto período que os sintomas se manifestam e nem sempre é preciso fazer uso de medicamentos. Chás calmantes podem colaborar, mas nunca exagere na quantidade, podem baixar a pressão.

Durante a gravidez também existem as variações hormonais, sendo que sentimentos de culpa, tristeza e até mesmo depressão são comuns. Já que esse é um momento muito delicado para algumas mulheres, esses sintomas se potencializam. Uma alimentação saudável, balanceada com as substâncias como ácido fólico e ferro, bem como a prática de exercícios leves ajudam a amenizar os sintomas comuns da gestação.

O que fazer com as alterações dos hormônios da menopausa


Quando as mudanças hormonais são consequência da menopausa, além da reposição hormonal, confira outras dicas mais saudáveis para amenizar os sintomas desse período:

 A alimentação sempre pode ajudar ou potencializar sintomas em diversas circunstâncias.

 Ingerir muita água para evitar o ressecamento da pele e dos cabelos e faça atividades físicas, pois liberam a endorfinas na corrente sanguínea e proporcionam a sensação de bem estar.

 Acupuntura, massagens e tratamentos naturais, também são benéficos para as mulheres que estão na menopausa e em outros momentos em que há variações hormonais em seu organismo.

 Não deixar de comparecer às consultas de rotina, fazer todos os exames solicitados pelo seu médico, não se automedicar.


Referências: Textual Conteudo

Até a próxima


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Saúde feminina 10 erros frequentes



As mulheres são boas cuidadoras, mas, muitas vezes, esquecem-se de si mesmas. A Revista PH dá o alerta para alguns erros que prejudicam a saúde.

Imagem daqui
Seja por falta de tempo, por inércia ou falta de motivação ou até por desconhecimentos, as mulheres acabam por cometer pequenos erros, que, isoladamente, são isso mesmo - mas que, juntos, podem afetar a saúde e o bem-estar. Por isso, convém relembrar alguns erros e perceber porque devem ser evitados.

Um pequeno teste antes: há quanto tempo não vai ao ginecologista? Se não se lembra o mais provável é que já tenha faltado a algumas consultas e exames que o médico lhe iria pedir para fazer. Este é só um exemplo.

Mas há outros. Conheça-os!

Fazer dietas drásticas

É natural querer perder alguns quilos quando estão a mais, mas nunca através de soluções restritivas: é que os quilos que assim rapidamente regressam.
O resultado é enganador e pode até gerar desequilíbrios nutricionais. O correto e com efeitos duradouros é conjugar uma alimentação equilibrada com a prática regular de exercício físico. Aconselhe-se com um nutricionista.

Adiar as consultas médicas de rotina

Este é um erro partilhado com os homens, mas a verdade é que estas consultas são essenciais para a realização dos exames de rotina, nomeadamente análises ao sangue, que vão permitir avaliar o seu estado de saúde e, se necessário, atuar rapidamente para ultrapassar eventuais problemas detectados. Uma consulta anual é o ideal mas é o médico que poderá indicar a frequência desejada para cada caso.

Não consultar o ginecologista regularmente

Essa consulta é um complemento à visita ao médico de clínica geral, pois o ginecologista é o especialista em saúde feminina: uma vez por ano também (exceto se o médico lhe recomendar uma consulta com mais regularidade) é o momento para esclarecer dúvidas e para a realização de exames ginecológicos adequados a cada fase da vida, fundamentais para o rastreio e tratamento precoce da doença.

Esquecer-se de fazer autoexame da mama

É um gesto simples mas essencial para a saúde feminina, pois permite detectar eventuais alterações e, se assim for, procurar ajuda médica rapidamente: aproveite o banho, relaxe e faça deste cuidado uma rotina de saúde. Afinal, o câncer da mama é comum mas o diagnóstico precoce possibilita um tratamento muito mais eficaz.

Pensar que as doenças cardiovasculares ocorrem apenas nos homens

Não. Há cada vez mais casos entre as mulheres e, por isso, há que vigiar regularmente a pressão arterial, colesterol total, glicemia em jejum e peso.

8 ou 80 no exercício físico

Nenhum dos extremos é saudável. O sedentarismo porque aumenta o risco de excesso de peso e obesidade, além do risco cardiovascular; e o exercício em excesso porque pode causar fadiga muscular e diversos tipos de lesões. Exercício sim, mas com moderação, a um ritmo progressivo e com uma atividade adequada à idade e ao estado geral de saúde. E, já agora, que proporcione prazer.

Beber pouca água

A água é essencial para o bom funcionamento do organismo, hidratando-o por dentro e por fora. Há que beber mesmo sem sede: água, chás, sucos naturais, sopas. São várias formas mas com o mesmo benefício. Tente cumprir a meta de beber entre um e  meio e dois litros de água todos os dias.

Não usar protetor solar todos os dias

Não é só no verão e muito menos só quando se vai à praia que se deve usar protetor solar; no rosto, sobretudo, deve ser um cuidado diário - é que os raios solares incidem sobre a pele mesmo nos dias cinzentos, contribuindo para o envelhecimento precoce. Hoje em dia, já há cremes hidratantes, e mesmo maquiagem, com FPS (que não deve ser inferior a 30), o que facilita muito a vida.

Não retirar a maquiagem antes de dormir

O cansaço, o sono ou simplesmente a preguiça podem cair na tentação de não limpar o rosto. Mas é essencial para remover as impurezas que se acumulam na pele ao longo do dia. Dormir com maquiagem é abrir caminho a uma pele mais seca, poros obstruídos e os tão odiados pontos negros e borbulhas. Limpar, é prioritário, mas sempre com produtos adequados ao seu tipo de pele, mais suaves para os olhos, e sem esquecer o pescoço. A pele vai respirar melhor.

Não usar o fio dental

A rotina de escovar os dentes (pelo menos duas vezes ao dia) deve incluir a passagem do fio dental. Nas mulheres, então, é particularmente importante, sobretudo na puberdade, gravidez e menopausa: é que as alterações hormonais propiciam o desenvolvimento de infecções bacterianas que podem causar doenças das gengivas.
Uma limpeza rigorosa permite eliminar todos os resíduos que a escova de dentes não tenha detectado.

Referências: Revista PH


Até a próxima



terça-feira, 9 de junho de 2015

Viver a menopausa com tranquilidade


O relógio biológico vai avançando e chega uma altura em que os ovários deixam de produzir hormônios, e a menstruação cessa. Quando isto acontece chegou a menopausa. Esta é uma fase natural da vida de uma mulher, mas não deve ser vista nem vivida como uma fase má. Pelo contrário, esta etapa deve ser atravessada com tranquilidade.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto: Ultrafarma
As alterações decorrentes da interrupção da produção de hormônios pelos ovários vão dar origem a mudanças em termos físicos e psicológicos. Entre os muitos sintomas associados à menopausa, as mulheres queixam-se, frequentemente, de afrontamentos (flashes de calor), suores, irritabilidade, humor depressivo, secura vaginal, diminuição do desejo sexual, insônias, dores de cabeça, alterações ao nível da pele que potenciam o envelhecimento cutâneo (por exemplo fragilidade cutânea, sensação de pele seca, acne), entre outros sinais.

Nesta fase, e como consequência da interrupção da produção de hormônios (sobretudo de estrogênio), é comum assistir-se a uma diminuição da densidade óssea, aumentando o índice de osteoporose e, consequentemente, de fraturas ósseas. Assim sendo, é importante a prática de atividade física, de forma a fortalecer os ossos e a impedir a perda óssea. No entanto, nem todas as atividades físicas são apropriadas em caso de osteoporose, sendo preferíveis os exercícios com caminhar e correr.

É importante prestar atenção também à forma como a alimentação se reflete nas novas transformações corporais e hormonais no corpo da mulher. Muitos dos sintomas referidos podem transformar a sua atividade diária. Entretanto, um alimentação rica e variada pode contribuir para atenuar alguns destes sintomas e reduzir a fragilidade óssea, nomeadamente através da ingestão de alimentos contendo cálcio, como leite e derivados, espinafres, brócolis, couve chinesa, tofu, entre outros.

Sintomas e sinais da menopausa

➤ Irregularidades no ciclo menstrual
➤ Afrontamentos
➤ Suores sobretudo noturnos
➤ Dores de cabeça
➤ Incontinência urinária
➤ Secura vaginal
➤ Perturbações no sono
➤ Aumento de peso
➤ Dores articulares
➤ Mudanças de humor, depressão e ansiedade.

Afrontamentos

A menopausa é uma fase que todas as mulheres devem compreender e sobre o qual devem estar informadas, para que possam lidar com as alterações do corpo com tranquilidade. Muito temidos, os afrontamentos, tal como os suores noturnos, são os sintomas mais característicos. Os afrontamentos e restantes sintomas podem surgir dois a dez anos antes da última menstruação e prolongar-se durante vários meses após o última ciclo menstrual.

O que é a terapia hormonal de substituição?

Quando a função dos ovários cessa, e com a consequente diminuição  dos níveis de hormônios femininos, podem surgir várias alterações  físicas e psicológicas. Estas podem ser atenuadas ou diminuídas  através da Terapêutica Hormonal de Substituição (THS), ou seja, através da adminsitração de hormônios, por diversas vias, consoante o caso e as necessidades individuais, com ações semelhantes às dos próprios hormônios produzidos naturalmente  pelos ovários. Trata-se de repor artificialmente o défice hormonal que caracteriza a menopausa, permitindo que o organismo feminino se adapte progressivamente à nova situação.

A THS pode proporcionar uma melhora significativa de sintomas como a secura e atrofia vaginal, os suores e afrontamentos, prevenindo também a perda de massa óssea, diminuindo o risco de osteoporose. Tendo em conta que a menopausa é, também, responsável pela alteração na pele que potenciam o envelhecimento, este tratamento pode, ainda, exercer um efeito benéfico adicional a nível da pele retardando o envelhecimento. No entanto, a THS também acarreta riscos, podendo aumentar o risco  de alguns cânceres (por exemplo, mama e ovários) e de Acidente Vascular Cerebral (AVC), pelo que cabe ao médico informá-la acerca destas questões e ponderar antes de iniciar o tratamento.

Caso esteja entrando na menopausa, não se esqueça que deve ser acompanhada regularmente por um ginecologista. Este profissional irá avaliar as várias alterações que ocorrem nesta fase e ponderar a possibilidade de introdução da THS.

Fonte: Revista Farmácias Portuguesas.



Até a próxima