Mostrando postagens com marcador músculos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador músculos. Mostrar todas as postagens

sábado, 6 de janeiro de 2018

Maus hábitos que nos fazem parecer mais velhos



Você sabia que existem tantos maus hábitos que nos tornam velhos antes do tempo? Com alguns pequenos truques, não podemos evitar a passagem lenta e inexorável dos anos, mas pelo menos evitemos parecer mais velhos do que realmente somos. Vamos ver como podemos modificar certos comportamentos ganhando saúde e parecer mais jovens ...

Álcool
O consumo excessivo de álcool reduz os níveis de antioxidantes na pele e não o torna capaz de contrariar a ação dos radicais livres. Consequência? O aparecimento das rugas, naturalmente.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Proteja-se do sol
"Mesmo uma curta exposição aos raios UV - lembra Zeichner - aumenta a presença de radicais livres que danificam células da pele, elastina e colágeno, causando envelhecimento prematuro da pele". A confirmação nessa direção vem de um estudo australiano realizado em 900 voluntários, seguido por quatro anos: aqueles que foram solicitados a aplicar protetor solar todos os dias apresentaram sinais de envelhecimento da pele 24% menos do que aqueles que essas instruções não receberam.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

As horas de sono
Oito horas de sono por noite seriam perfeitas, não só para preservar faculdades mentais, mas também para parecer mais jovem. Nem todos sabem que as células epidérmicas funcionam ao ritmo semelhante ao do sono/vigília: a noite reparam qualquer dano sofrido por nossa pele durante o dia, mas devemos dar tempo para fazê-lo! Quando você dorme  pouco, o processo de reparo é reiniciado e a pele parece estar desligada.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Muitos açúcares
Uma obrigação para se parecer mais jovem é reduzir o consumo de açúcar, ao mesmo tempo em que aumenta a proteína. Muito açúcar é ruin para a pele porque eleva o pico glicêmico, favorecendo o aparecimento de inflamação e acne.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Consumo de frutas e legumes
De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, uma dieta equilibrada rica em frutas e vegetais pode ajudar a combater os radicais livres responsáveis ​​pelo envelhecimento da pele. Pesquisas publicadas, respectivamente, na ISRN Dermatology e no Journal of the American Academy of Dermatology enfatizam a importância da vitamina E para proteger a pele de danos causados ​​por raios UV e vitamina A e B3, para evitar a quebra de colágeno, promover a elasticidade da pele e reduzir a hiperpigmentação. Em suma, se você cuida da sua pele, consuma espargos, morangos, cogumelos, batatas doces, laranjas e pimentas vermelhas.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Fumaça inimiga
Um estudo publicado na revista Plastic & Recostructive Surgery comparou as expressões faciais de 79 pares de gêmeos (um deles fumante) e descobriu que os gêmeos dependentes da nicotina apresentavam mais rugas nos lábios - bochechas e bolsas sob os olhos. "Isso é porque - explica o dermatologista Joshua Zeichner do Hospital Mount Sinai - fumar diminui o fornecimento de oxigênio e nutrientes à pele à custa da circulação sanguínea".
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Fonte: MSN

Até a próxima


quarta-feira, 3 de maio de 2017

O que é sarcopenia?



Já ouviu falar na doença? O nome pode assustar a princípio. Refere-se à perda de músculos à medida que envelhecemos, não mé uma condição que queiramos participar, não é?
 title=
© Vitalis

Sarcopenia é uma doença associada ao processo de envelhecimento. Perda de massa muscular e força, que por sua vez afeta o equilíbrio, marcha e capacidade geral para realizar tarefas da vida diária, são sinais de destaque desta doença.

Os cientistas há muito acreditavam que perda muscular e outros sinais associados com o envelhecimento são um processo inevitável. No entanto, os pesquisadores estão procurando maneiras em que podemos retardar o processo de envelhecimento, especificamente em relação à perda de massa muscular e força.

Perda de massa muscular, força e função


Sarcopenia é, em seu sentido mais literal, a perda de massa muscular, força e função relacionadas ao envelhecimento. Estamos agora a descobrir que esta perda é um processo complexo e multifacetado. Mais comumente visto em pessoas inativas, mas também afeta aqueles que permanecem fisicamente ativos ao longo de suas vidas.

Isso indica que, embora um estilo de vida sedentário contribui para esta doença, não sendo o único fator.

Além disso, à medida que envelhecemos:

→ Os níveis hormonais mudam

→ Exigências de proteínas

→ Neurônios motores morrem

→ E tendemos a tornar-nos mais sedentários

Prevenção e tratamento

Estes fatores em combinação são o que se pensa causar sarcopenia. Os cientistas estão procurando formas de tratar e prevenir a progressão deste processo da doença desenvolvendo tratamentos que alvejem fatores individuais.

Em uma revisão da literatura, o agravamento da sarcopenia seguiu as tendências de perda de força muscular e de comprometimento do funcionamento diário. Em um estudo, a prevalência de sarcopenia aumentou dramaticamente com a idade de 4% dos homens e 3% das mulheres com idade entre 70 -75 a 16% dos homens e 13% das mulheres com 85 anos ou mais.

Mais importante ainda, quando a sarcopenia é associada a outras doenças associadas ao envelhecimento, seus efeitos podem ser ainda mais acentuados. A perda de massa muscular e força é um fator de risco significativo para a deficiência no envelhecimento da população. Mudanças ambientais podem diminuir o limite de incapacidade.

Quando os pacientes sofrem de sarcopenia e osteoporose, o risco de queda e subsequente incidência de fraturas é maior. Portanto, o tratamento da sarcopenia, por sua vez, ajudará a diminuir sua carga sobre doenças coexistentes.


Referências: iofbonehealth.org

Até a próxima

domingo, 24 de julho de 2016

O que fazer para acelerar o metabolismo


Um bom funcionamento do metabolismo é fundamental para uma vida saudável. Mas para quem quer perder peso, quanto mais rápido o metabolismo agir, menor será sua dificuldade para conseguir emagrecer e alcançar seu objetivo. 
Imagem Ponto XP

Por isso, quem deseja perder peso precisa ficar atento a o que fazer para acelerar o metabolismo.

Ganhe músculos: o que fazer para acelerar o metabolismo? Primeiramente, lembre que o corpo humano queima calorias mesmo no momento em que estamos dormindo ou em repouso. Entretanto, quanto mais músculos você tiver, maior será a energia que seu corpo precisará para se manter bem.

Pratique exercícios aeróbicos: outra boa forma de acelerar seu metabolismo é realizando atividades aeróbicas em ritmo intenso, pois eles podem manter seu metabolismo em ritmo frenético mesmo depois de várias horas após a conclusão da atividade. Faça na maior intensidade que conseguir.

Consuma muita água: o corpo precisa naturalmente de água para conseguir processar todos os nutrientes e calorias que você ingere. Em geral, adultos que consomem em média oito copos de água por dia conseguem queimar mais calorias do que os que consomem apenas metade.

Uso de energéticos: algumas bebidas energéticas são capazes de movimentar seu metabolismo, principalmente por conta da cafeína, que aumenta a quantidade de energia que seu organismo consome. Outros modelos, com taurina, também auxiliam na queima de gordura. Tome muito cuidado com esse consumo, uma vez que tais bebidas podem também aumentar a pressão, causar ansiedade e distúrbios do sono.

Alimente-se regularmente: lembre-se de realizar lanches simples entre as refeições, comendo sempre de três em três horas. Dessa forma, seu metabolismo trabalhará o dia todo, com seu corpo sempre tendo algo para digerir e assim, gastando energia durante o processo. Ao comer lanches leves, você também estará com menos fome na hora das grandes refeições.

Atenção às proteínas: o corpo humano consome mais energia quando precisa digerir proteínas, em vez dos carboidratos. Não precisa mudar radicalmente sua alimentação, pois basta apenas ingerir mais peixes, carnes, ovos, frutos do mar e laticínios desnatados, diminuindo a quantidade de massas, pães e derivados.

Evite dietas radicais: deixe de fazer dietas malucas, que prevejam o consumo diário de menos de 1.200kcal para mulheres e 1.800kcal para homens. Esse tipo de alimentação pode prejudicar seu metabolismo. Mesmo que resultem em uma alta perda de peso, podem também eliminar muitos músculos.

Mais café: o consumo de café também pode ser um aliado para acelerar o metabolismo, por conter, assim como os energéticos, altos níveis de cafeína. Além disso, o café também traz outros benefícios, como dar mais energia para atividades durante o dia, ajudando a diminuir o cansaço e aumentar a concentração.

Fonte: Textual Conteúdo

Até a próxima


terça-feira, 22 de março de 2016

Cuidados com a sobrecarga dos músculos



É importante saber até que ponto é possível sobrecarregar os diferentes grupos musculares ao longo dos treinos. Os cuidados com a sobrecarga dos músculos vão evitar lesões, não apenas durante os treinamentos, como nas atividades diárias.

 title=
Foto: Pixabay

Quem pretende ganhar músculos abdominais, por exemplo, deve atentar quanto ao tempo de descanso, que é uma parte muito importante do treino. Para entender a sua importância é preciso explicar que quanto menor o intervalo entre as sequências, menos energia haverá disponível para a série seguinte.

Além disso, quando o intervalo não possui tempo suficiente para recarregar a energia, a mesma será substituída pelo sistema do ácido lático (AL). Porém, esse sistema de energia tem a desvantagem de acumular ácido lático no músculo que é exercitado, o que causa cansaço muscular e dor. Ou seja, o treino é prejudicado.

O cuidado em não suprimir os intervalos é fundamental também porque é durante as paradas que o coração bombeia o maior volume de sangue para os músculos que são trabalhados. Dessa forma, se o intervalo não for suficiente, a quantidade de sangue do músculo será menor.

Vale lembrar que esse mecanismo permite ao músculo ficar com mais oxigênio, que funciona como combustível para a atividade física. Se ele não estiver em quantidade suficiente, mais uma vez vai faltar energia para o atleta completar o seu treino.

Mais dicas e cuidados com a sobrecarga dos músculos

Além do intervalo entre as sessões durante um treinamento ser fundamental, outro dos cuidados com a sobrecarga dos músculos é saber intercalar os grupos musculares que são trabalhados. Assim, é possível realizar um exercício completo, sem que nenhum fique de fora. Ou seja, mesmo que a ideia seja perder barriga, não é aconselhável fazer apenas abdominais.

Mais do que isso, é preciso estar atento aos sinais que o corpo dá para dizer que alguma coisa está errada. Caso um músculo esteja sofrendo esforço excessivo é normal que em algum momento ocorra um espasmo muscular, como um movimento involuntário na região afetada.

Não apenas quando o treino está inadequado isso pode ocorrer, mas também quando no dia a dia se sobrecarrega em demasia um músculo, seja com a repetição de movimentos ou carregando peso em excesso.

O mesmo ocorre quando são usadas bolsas e mochilas pesadas, sendo que nesse caso pode ocorrer a contratura permanente do músculo dos ombros. Quando se usam bolsas com muito peso, inclusive, a dica é alternar o lado em que ela é carregada, a fim de evitar a sobrecarrega.

Já uma forma de prevenir os espasmos musculares é exercitando os diferentes grupos musculares regularmente. Exercícios de forma geral são bem vindos, mas ao treinar os músculos eles serão fortalecidos e se tornarão mais resistentes, permitindo que as atividades que exigem mais esforço sejam menos maléficas para a saúde.

Fonte: PontoXP

Até a próxima


quarta-feira, 29 de julho de 2015

Magnésio saúde dos pés à cabeça


O corpo de um adulto humano contém cerca de 25 gramas de magnésio que se encontra maioritariamente nos ossos (cerca de 60%), podendo ainda ser armazenado nos músculos e em outras células.
Está envolvido em mais de 300 reações metabólicas essenciais, sendo indispensável para o bom funcionamento do sistema nervoso e, em conjunto com o cálcio, na regulação da pressão arterial e contração muscular.

Sabe se o seu corpo tem falta de magnésio?

www.emagrecerumdesafio.com
Foto: pixabay
O nosso próprio corpo dá o alerta.

Sintomas como cansaço, irritabilidade, nervosismo, cãibras musculares ou até queda de cabelo pode significar que não estamos a garantir o seu aporte nas "doses certas". No limite, a falta de magnésio pode estar na origem de doenças crônicas como a hipertensão arterial ou certas arritmias. O stress do cotidiano pode ser uma causa do défice de magnésio. 

Já determinados alimentos como o café, as bebidas gaseificadas, o álcool e os produtos de pastelaria com açúcar refinado, aumentam a excreção deste nutriente pelo organismo. além disso, o processamento industrial e o refinamento de cereais e de açúcar, leva à perda de magnésio nos alimentos. Assim o défice de magnésio, apesar de pouco frequente, está intimamente relacionado aos padrões da dieta ocidental atual, onde abundam os produtos prontos a consumir, mais refinados e altamente processados.

Uma forma viável de contornar esta situação, passa por "repensar" a nossa dieta. O consumo de produtos processados deve ser minimizado, enquanto alimentos ricos em magnésio, como as leguminosas, espinafres, bananas, amêndoas ou nozes, devem estar presentes à nossa mesa.

Magnésio de mãos dadas com o esporte

O magnésio é um elemento indispensável para o relaxamento muscular. Com efeito, sem este mineral os nossos músculos encontrar-se-iam num estado de permanente contração. Os atletas recorrem à  suplementação frequentemente, uma vez que o magnésio atua no relaxamento muscular, ajuda a melhorar a performance e condição física, e, em última análise, evita lesões musculares sérias. 

Referências: Farma


Até a próxima