Mostrando postagens com marcador jejum. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador jejum. Mostrar todas as postagens

sábado, 2 de dezembro de 2017

10 alimentos que causam mau hálito



É bem sabido que uma fraca higiene bucal e a consequente proliferação bacteriana estão entre as causas da halitose. No entanto, mesmo indivíduos sem patologias particulares e atentos à sua boca podem sofrer. Estima-se que este distúrbio afeta mais de 20% da população. A principal causa? Alimentos ingeridos: aqui estão os principais.

Jejum
Parece estranho, mas mesmo a ausência de comida pode causar um mau cheiro na respiração. Um exemplo? Pela manhã.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Alho
Também será um antibiótico natural, mas seus efluentes são muitas vezes "mortais". A solução? Uso moderado e de preferência frito.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Cebola e alho-poró
Dois outros elementos que dão à respiração um cheiro intenso. Aqui também, o conselho é um uso moderado,  após o cozimento.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Caril
O pó amarelo ocre é realmente um ingrediente muito "perigoso" para a respiração. Na verdade, é criado a partir da mistura de especiarias, incluindo pimenta caiena, coentro, dentes de  alho, cardamomo, feno-grego, canela, pimentos, cebola e gengibre: o que esperávamos?
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Molhos
Dá aos pratos um sabor incrível, devido à presença de alho, cebola e especiarias. Mas convém prestar melhor atenção aos ingredientes.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Café
O café retarda a produção de saliva. Um remédio natural para a eliminação de bactérias na boca, o conselho é, como no sul da Itália, beber um copo de água após o café.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Queijo
O problema é muito mais comum em indivíduos intolerantes à lactose.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Carne
Uma alimentação rica em lipídios (alimentos gordurosos) resulta em altos níveis de acidez que produzem um cheiro desagradável no hálito. É melhor tomar muitos líquidos durante e após o consumo.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Vinho
Inibe a formação de saliva na boca, desidratando a cavidade oral e consequentemente causando halitose. 
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Açúcar
Treats, bolos e doces  promovem a proliferação bacteriana. Escove os dentes após o consumo.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Pimentões, repolho, brócolis
Alguns vegetais com sabor intenso podem gerar halitose.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay
Remédios para a halitose
A higiene bucal diária é fundamental. Coma legumes frescos e fibrosos, como cenouras e erva-doce. Beba muitos líquidos. Para as "emergências", o método antigo de goma de mascar continua a ser válido e acima de tudo uma pequena garrafa de água próxima à mão.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Fonte: MSN/Saúde

Até a próxima


terça-feira, 5 de julho de 2016

O bom emagrecimento



Só há uma forma boa de se perder peso: através da combinação de uma dieta saudável com a prática de exercício físico. No que se refere ao emagrecimento não existem soluções mágicas.
Imagem Pinterest

As pessoas com excesso de peso são muitas vezes vítimas de uma grande pressão cultural e social para emagrecer e esse desejo intenso leva-as a tomar opções menos seguras do ponto de vista da saúde.
É, por isso absolutamente necessário chamar à atenção para os tratamentos que prometem perdas de peso rápidas e sem esforço.

As chamadas dietas restritivas podem induzir distúrbios emocionais, cognitivos e físicos, e estão muitas vezes associadas à episódios de compulsão alimentar, ou seja, ingestão alimentar descontrolada em qualidade e quantidade.

A gestão do peso é uma questão que deve ser tratada com seriedade. Todos sabemos que não existem soluções mágicas! É que, se é certo que a perda de peso de torna os indivíduos mais saudáveis, também é certo que tal apenas será verdade se for feito de modo adequado, com tratamentos que promovam uma perda sustentada ao longo do tempo, baseados na reeducação alimentar e na aquisição de um estilo de vida mais saudável.

Trata-se, contudo, de um tipo de abordagem que, não apresentando a desejada rápida perda ponderal, pode levar à desmotivação. Para que isso não aconteça deve-se:

Estabilizar a ingestão alimentar: desenvolver um padrão alimentar estruturado, ou seja, não saltar refeições, evitar longos períodos de jejum, lanches frequentes e episódios de ingestão alimentar descontrolada.

Melhorar a qualidade da alimentação: fazer um adequado fracionamento alimentar, ter horários regulares e muita atenção às porções alimentares. Diminuir o teor de gordura e de açúcar, e aumentar a ingestão de produtos hortícolas.

Os conceitos da pirâmide de alimentos de variedade, moderação e proporcionalidade, devem estar sempre presentes na alimentação, assim como as indicações da pirâmide da dieta mediterrânea.


Fonte: Saúda

Até a próxima