Mostrando postagens com marcador infecção. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador infecção. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Queimaduras



As queimaduras são lesões que resultam do contacto com o calor ou frio extremo, substâncias químicas, eletricidade ou radiações. Os acidentes por queimaduras são muito frequentes e na sua maioria consistem em pequenas lesões que não originam grandes complicações.
 title=
© Wikipedia Commons

Para cuidar eficazmente de uma queimadura, é necessário avaliar bem a sua profundidade

No entanto, algumas queimaduras são potencialmente fatais, exigindo um tratamento correto e o mais precoce possível. Algumas queimaduras, em certos locais do corpo humano, podem não só afetar a funcionalidade normal do corpo, como serem fatais. O socorro a estas vítimas resume-se essencialmente ao esfriamento da queimadura e à prevenção das infecções.

As queimaduras estão em três níveis de gravidade:


Queimaduras de 1° grau (menos grave)

➛ Vermelhidão

➛ Calor

➛ Dor

Queimadura de 2° grau (gravidade moderada)

➛ Dor intensa

➛ Bolhas

Queimaduras de 3° grau (mais grave)

➛ Pele acastanhada, negra ou branca

➛ Sem dor

Como atuar?

➛ Avalie a situação e garanta as suas condições de segurança;

➛ Afaste o agente que provoca a queimadura ou em alternativa a vítima do agente;

➛ Lave abundantemente a zona da queimadura com água tépida;

➛ Cubra as áreas queimadas com compressas umedecidas com soro fisiológico ou água;

➛ Controle a temperatura corporal, a hiportemia pode acontecer depois do arrefecimento;

➛ Não remova as roupas se estas estiverem coladas ao corpo da vítima;

➛ Não utilize gelo, creme dental, manteiga, azeite, ou outro tipo de produtos para esfriar a queimadura pois os mesmos poderão agravar as lesões;

➛ Procure aconselhamento médico.

Fonte: INEM


Até a próxima

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Salmonella o que é e como se prevenir


A Salmonella é uma bactéria responsável por infecções no ser humano. É comum na criança, onde se pode manifestar de diversas formas.

Quase sempre, trata-se de uma doença auto-limitada, sob a forma de gastroenterite aguda. Mais raramente, no entanto pode associar-se a quadros de infecção generalizada, artrite, meningite ou pneumonia, entre outras.
www.emagrecerumdesafio.com
Crédito da foto: G1.com.br

Existem duas espécies de Salmonella, que, por sua vez, se dividem em subgrupos. O conhecimento dessas divisões é importante no caso de epidemias para se poder identificar a fonte de infecção e, também, para melhor se estudarem as resistências aos antibióticos que estas bactérias podem apresentar.

A gastroenterite por Salmonela representa um problema de saúde pública mundial, sendo a sua incidência real muito superior ao número de casos declarados. Nos Estados Unidos, estima-se uma incidência de 1.4 milhões de casos por ano, sendo declarados apenas 10%. Estas infecções são mais comuns nos meses de Verão.

Em Portugal, entre 2004 e 2008 foram notificados anualmente 456 episódios, 82% dos quais em crianças com menos de 15 anos de idade.

Embora seja reconhecida uma relação entre as condições de higiene e sanitárias, a disponibilidade de água potável e o modo de armazenamento e preparação dos alimentos, nas últimas décadas tem-se verificado um aumento do número de casos nos países industrializados, facto que pode ser justificado pela globalização e pela alteração dos hábitos alimentares.

Quais as causas da infecção por Salmonella?

Estas bactérias habitam o tubo digestivo dos seres humanos e de outros animais, como algumas aves.

De um modo geral, a infecção é transmitida através da ingestão de alimentos contaminados com fezes de animais. Esses alimentos apresentam um aspecto normal. Os mais comuns são a carne, leite, ovos e aves, embora possa também ocorrer contaminação a partir de vegetais.

Uma correcta preparação dos alimentos permite a destruição deste tipo de bactérias. Contudo, a contaminação pode ocorrer a partir das mãos de quem manipula ou confecciona os alimentos.

Uma vez que a Salmonela pode estar presente nas fezes de alguns animais domésticos ou de estimação, essa é outra possível fonte de contaminação, sobretudo se as pessoas não lavarem as mãos depois de contactarem com esses animais.

Alguns répteis, como as tartarugas e cobras, e algumas aves também podem hospedar esta bactéria pelo que a lavagem das mãos é essencial sempre que se contacta com esses animais, mesmo que eles sejam saudáveis.

Como se manifesta a infecção por Salmonella?

Na maioria dos casos, esta infecção manifesta-se por diarreia, dores abdominais e febre que se desenvolvem 12 a 72 horas após a infecção.
A doença dura entre 4 a 7 dias e a maioria das pessoas recupera sem necessitar de qualquer tratamento.

Em alguns casos, a infecção pode ser grave obrigando a hospitalização. Isto sucede quando a infecção se espalha dos intestinos para a corrente sanguínea e daí para outros locais do organismo. Este quadro requer um tratamento urgente com antibióticos.

As formas mais graves de doença ocorrem nos idosos, nas crianças e nas pessoas com as defesas diminuídas.

Como se referiu, a maioria das pessoas recupera espontaneamente mas alguns doentes desenvolvem queixas articulares, irritação ocular e ardor ao urinar. Este quadro designa-se como artrite reativa e pode durar meses ou anos conduzindo a uma artrite crônica de tratamento difícil. Este quadro pode surgir independentemente do uso de antibióticos para o tratamento da gastroenterite.

Como se diagnostica a infecção por Salmonella?

Existem muitas doenças que se podem manifestar com diarreia, febre e dores abdominais. Por esse motivo, o diagnóstico requer a realização de um estudo laboratorial, a partir das fezes, para identificar a Salmonella e o seu subtipo.

Como se trata a infecção por Salmonella?

A gastrenterite por Salmonella raramente requer tratamento com excepção de uma hidratação adequada e melhora ao fim de 5 -7 dias, conforme já referido.

Se a diarreia for muito intensa poderá ser necessário recorrer a uma hidratação por via intravenosa em ambiente hospitalar.

O uso de antibióticos apenas se justifica nos casos de diarreia grave, febres elevadas, passagem da infecção para a corrente sanguínea, nos doentes hospitalizados ou naqueles com maior risco de complicações, como as crianças, os doentes com mais de 65 anos de idade e os que apresentam defesas diminuídas.

Como se previne a infecção por Salmonella?

⇢ É importante evitar o consumo de alimentos mal cozidos, ovos mal cozidos, leite não pasteurizado.

⇢ Os alimentos devem ser mantidos em boas condições de refrigeração antes de serem preparados.

⇢ As mãos devem ser lavadas antes de se preparar qualquer alimento e as superfícies onde os alimentos vão ser preparados devem ser regularmente limpas.

⇢ O mesmo se aplica a todos os utensílios usados na preparação de alimentos.

⇢ Não esquecer: as mãos devem ser lavadas sempre após contacto com animais, mesmo que estes não apresentem qualquer sinal de doença.

Fonte: CUF/MSN Saúde/G1

Até a próxima

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Sabe a forma correta de limpar o umbigo?




No umbigo pode ser encontrada uma mistura de bactérias, sujeira, suor, sabão, loções, gordura.
Para limpá-lo basta agir como faz com as restantes partes do corpo; caso contrário a área pode desenvolver cheiros desagradáveis e infecções, muitas vezes ocasionando coceira e vermelhidão na pele, especialmente se tem piercing no umbigo.
Emagrecerumdesafio.com
Foto: Pixabay
Mas, mesmo que você ache que o seu não está repleto de sujeira as chances são de que ainda é mais sujo do que você imagina: No umbigo, em média, podem ser encontradas 67 espécies diferentes de bactérias, de acordo com pesquisa da North Carolina State University.

É de estarrecer!

Então, como evitar uma visita embaraços ao seu médico? Simplesmente tomar banho vai remover alguns germes, fiapos e outros enfeites, mas você também deve, uma vez por semana, com um cotonete com água e sabão ou álcool e fazer uma limpeza "completa" nele... 

Infelizmente, se o seu umbigo já está fora de controle (ou seja, você não pode se livrar do cheiro ou infecção), você pode precisar de ir em frente e visitar seu médico. Um dermatologista pode cuidar do seu problema ele poderá limpá-lo com o equipamento apropriado. E, ele, o dermatologista, já deve ter visto alguns umbigos em situação muito pior, por isso não se preocupe.

Um exemplo

Após três anos de pesquisas, cientistas austríacos descobriram uma espécie de pelo que atrai fiapos de algodão para o umbigo. O químico Georg Steinhauser, que realizou o estudo, fez a descoberta depois de analisar cuidadosamente 503 fiapos que retirou do próprio umbigo.


Até a próxima


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Elásticos de cabelo não devem ser usados nos pulsos


Já vimos muitas pessoas usarem o elástico (já usado) de prender os cabelos como acessório de moda. São tantas as opções e tem o colorido chamativo, alegres, com brilhantes, mas ...
www.emagrecerumdesafio.com
Fonte da Imagem

O Daily Mail ouviu o Dr. Amit Gupta (especialista em pediatria e neonatologista), que alerta para os perigos que o uso dos elásticos nos pulsos pode representar. Não são proibidos, entretanto, este especialista desaconselha, uma vez que podem provocar problemas de pele e até infecções graves.

Aconteceu à sua paciente Audree Kopp. Surgiu-lhe um nódulo vermelho no braço porque bactérias de um elástico com glitter infectaram uma pequena ferida que tinha no local.

Ficou com uma grande ferida, os antibióticos não foram capazes de combater a infecção e foi necessário ser operada para que o nódulo pudesse ser drenado. No braço de Audree havia ainda uma infecção. Três diferentes tipos de bactérias. 

A paciente foi advertida pelos médicos, de que poderia ter desenvolvido Sepse (conjunto de manifestações patológicas devidas a invasão, por via sanguínea, do organismo por germes patogênicos provenientes de um foco infeccioso, potencialmente fatal).



Fonte: MSN/Saúde

Até a próxima