Mostrando postagens com marcador grelhados. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador grelhados. Mostrar todas as postagens

sábado, 17 de junho de 2017

Abacaxi, o "rei dos frutos"


O abacaxi é um fruto-símbolo de regiões tropicais e subtropicais, de grande aceitação em todo o mundo, quer ao natural, quer industrializado: agrada aos olhos, ao paladar e ao olfato. Por essas razões e por ter uma "coroa", cabe-lhe, por vezes, o cognome de "rei dos frutos", que lhe foi dado, logo após seu descobrimento, pelos portugueses.
Fonte da imagem: Pixabay

O conhecido “rei dos frutos”, nome que resulta da sua coroa de folhas, é fonte de bromelina, enzima que lhe dá propriedades digestivas, apresentando ainda elevadas quantidades de água e vitaminas B1, B2 e C , e é um ótimo hidratante. Sendo rico em vitamina C, é uma excelente sobremesa, ao natural ou em receitas, e combina muito bem com grelhados e assados, bem como com fondue de carnes.

Casca de abacaxi – Contém mais vitamina C que a polpa. É rica em proteínas, lipidos, fibras, cálcio, potássio e ferro. Aproveite-as para fazer sumos, bolos e chás.

O fruto apresenta alto teor de bromelina, um grupo de enzimas capazes de quebrar proteínas (proteolítica) e que auxiliam o processo de digestão. A bromelina é um produto nobre, encontrada também no talo, caule, folhas e raízes do abacaxizeiro e em todas as espécies da família Bromeliaceae.

Abacaxi contém substâncias que restauram a elasticidade da pele e retarda o envelhecimento. É rico em bromelina esta substância ajuda no tratamento de doenças auto-imunes e contribui para regular a glândula tiróide.

No caso da tosse causada por doenças respiratórias agudas, a combinação do mel com o abacaxi é eficiente por causa da bromelina.

A bromelina tem amplo uso nas indústrias de alimentos, bebidas e farmacêutica.

Além dos produtos tradicionais industrializados do abacaxi, alguns estudos mostram a viabilidade de se produzir álcool de uso farmacêutico, vinhos, ácido cítrico, vinagre e amido comercial. As folhas podem ser utilizadas para obtenção de fibras.

Fonte: MSN, Pingo Doce

Até a próxima


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Assado ou frito - Qual é melhor?


Como diz aquele velho ditado “tudo o que em excesso faz mal”, com a comida não é diferente. Nada como uma batata frita, uns nuggets, um bife na manteiga, ou seja, uma friturinha bem feita. Mas, deve-se saber como esse método de fazer comida é prejudicial à saúde.
Fonte Pixabay

Se você for amante do “carpe diem”, do aproveitar o seu dia como se ele fosse o último, ou é adepto ao movimento de viver intensamente sem pensar no amanhã, bom, a fritura, então, não precisa ser eliminada do seu cardápio. Mas, se você preza pela sua saúde, por uma vida longa e saudável, é essencial que você elimine do seu cardápio a fritura. Se não conseguir extingui-la, pelo menos reduza o seu uso.

E existe uma explicação para isso. Tudo o que é frito, mesmo que seja em óleo vegetal, ou seja, em gordura insaturada – teoricamente menos prejudicial à saúde – passa por um processo de alteração química que tem a gordura do alimento transformada em gordura saturada, que se ingerida em excesso pode causar muitos danos à saúde. A formação da gordura trans também é muito comum quando se faz uso da fritura, além disso, esta pode acelerar a formação da acroleína, uma substância altamente cancerígena.

Alguns dos principais problemas de saúde ligados ao consumo excessivo de gorduras insaturadas e trans são as doenças cardiovasculares, elevação da pressão arterial, deficiência na absorção de nutrientes, possível desenvolvimento de cânceres, além da redução do crescimento e de outros malefícios.

Vale lembrar, também, que a fritura agrega ao alimento consumido uma característica inflamatória, a qual pode acarretar em um acúmulo centralizado de gordura nas regiões do corpo. Ou seja, fritura em excesso dá barriga e dá “pneu”. Não só isso, a fritura pode levar o corpo do indivíduo a resistir a insulina, e, assim, ter sintomas de falta de energia, enxaquecas, cansaço, sono em demasia, entre outros.

É importante ressaltar que diferentemente do que se pensa, é muito fácil atingir o limite de gorduras trans e saturadas no corpo humano uma vez que elas são obtidas não somente com a fritura, mas também com alimentos muito comuns no dia a dia das pessoas, como carne, queijos, bolachas, produtos industrializados em geral, etc.

Dessa maneira, evitar a fritura é primordial para uma saúde impecável. Optar pelos alimentos assados é uma boa solução para não deixar de comê-los, apenas muda-se o modo como são feitos. Assar os alimentos é muito mais saudável e não oferece nenhum risco à saúde desde que a comida assada também não ofereça. É importante, também, além de dar preferência aos assados, comer, sempre que possíveis alimentos cujas gorduras são de boa qualidade e inofensivas à saúde humana. São destaques as oleaginosas e os peixes, ambos ricos em gorduras monoinsaturadas, que estão diretamente ligadas à diminuição da inflamação, à queda do nível de colesterol no sangue, e à melhor eficiência cerebral.

Fonte: G. Produções

Até a próxima