Mostrando postagens com marcador dieta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dieta. Mostrar todas as postagens

sábado, 30 de setembro de 2017

5 boas razões para ingerir mais abóbora



São muitos os estudos que enaltecem os benefícios deste vegetal para a saúde. A sua polpa está repleta de produtos anticancerígenos.
www.emagrecerumdesafio.com
foto: iStock

Rica em vitamina C, betacaroteno e zinco, a abóbora contém uma grande quantidade de fibras e minerais essenciais e antioxidantes. Muitas pesquisas têm enaltecido as suas propriedades preventivas nalguns tipos de câncer e de doenças cardíacas. Ao comprá-las, escolha-as com um tom cor de laranja mais forte, sinónimo de uma maior presença de carotenoides.

Estas são cinco das (muitas) razões para que aumente o seu consumo:


1ª - Poder antioxidante

A sua coloração laranja deve-se à presença de betacaroteno, um pigmento com propriedades antioxidantes e com elevado teor de vitamina, com um papel importante na saúde ocular. Também contém muita vitamina C, essencial no reforço do sistema imunitário.

2ª -  Controle da pressão arterial

O seu teor de potássio (340 mg/100 g), similar ao da banana, é importante para quem pratica esportes e não só. O potássio reduz o efeito do sódio (presente no sal), aumenta a sua excreção na urina e, dessa forma, contribui para a redução da pressão arterial.

3ª - Vegetal antidepressivo

A abóbora é rica em triptofano, um aminoácido que ajuda a promover um estado emocional mais equilibrado, positivo e otimista, em particular em pessoas propensas a estados depressivos.

4ª - Fonte de em fitoesterois

Estas substâncias têm um papel importante na regulação do perfil lipídico do sangue, em particular promovendo a diminuição do (mau) colesterol, o LDL.

5ª  - Aliada da dieta

Com um elevado teor de água (96%), em fibras e baixo valor calórico, a abóbora é útil em qualquer plano de perda de peso.

As diferentes variedades

Existem vários tipos de abóbora mas, de um modo geral, não diferem muito do ponto de vista nutricional. Pelo seu paladar adocicado e textura suave, a abóbora-menina é uma das mais usadas, especialmente em sopas para bebês. A abóbora hokkaido é ideal para assar no forno, uma vez que não libera água durante o processo de confecção.

Fonte: Prevenir

Até a próxima

terça-feira, 25 de abril de 2017

Alimentação e exercício evitam envelhecimento precoce da pele




Uma alimentação adequada é essencial não só para prevenir as doenças crônicas, como as cardiovasculares e alguns tipos de câncer., mas também no que respeita a saúde da pele. 

www.emagrecerumdesafio.com
Fonte: Pixabay

Manter uma pele jovem e saudável é uma ambição comum. Contudo, à medida que envelhecemos, a pele tem maior dificuldade em lidar com o desgaste do dia-a-dia.

Para além dos nossos genes poderem ter influência na qualidade da nossa pele, existem fatores externos que podem ajudar a manter uma pele jovem durante mais tempo.

O envelhecimento da pele é um processo contínuo, fortemente determinado pelas influências decorrentes do envelhecimento intrínseco, do ambiente (exposição ao sol) e do estilo de vida (fatores como a fumaça do cigarro e a alimentação).

No que se refere à alimentação, é importante salientar que, para manter a saúde da pele, não é necessário evitar completamente qualquer alimento, nem ingerir um em particular. O importante é saber que uma dieta variada fornece os nutrientes necessários para a manutenção de uma pele bonita e saudável.

Os nutrientes que desempenham um papel crítico no normal funcionamento da pele são as vitaminas A, a vitamina C, a riboflavina, a niacina, a piridoxina, a vitamina E, o zinco e o selênio.

Uma dieta rica em frutas e legumes, com uma adequada ingestão de carnes magras, aves, peixes, ovos e ainda outras fontes de antioxidantes, é uma base fundamental.

Existem outras estratégias que pode adotar para ajudar a reduzir os danos na pele, nomeadamente:

Ingestão de líquidos

Ingerir no mínimo 6 a 8 copos de água ou infusões não açucaradas diariamente.

Sono reparadores

Demasiado stress pode afetar a saúde da pele. O sono é essencial para ajudar a evitar que a pele pareça cansada.

Não fumar

O tabagismo acelera o envelhecimento da pele, contribuindo para o aparecimento de rugas.

Beber álcool com moderação

O consumo excessivo de álcool pode causar desidratação. A pele desidratada é mais propensa a desenvolver rugas.

Ser ativo

Fazer atividade física dá mais brilho à sua pele.


Fonte: Revista Sauda


Até a próxima


quarta-feira, 19 de abril de 2017

Erros que nos fazem comer mais gordura do que o necessário



Uma semana de exageros não tem repercussões preocupantes na vida saudável de uma pessoa ativa. Mas sim, segundo o El País, a balança é capaz de acusar um pouco mais de peso. E a culpa é da Lei da Conservação da Massa: “A energia não se cria, nem se destrói, mas transforma-se. E, neste caso, fá-lo sob a forma de gordura”, esclarece Ángel Gil, professor catedrático de Bioquímica e Biologia Molecular da Universidade de Granada e presidente da Fundação Iberoamericana de Nutrição.
 title=
© Slicing

Não medir a gordura

A maioria estima as quantidades de gordura que usam em vez de medi-los e isso pode resultar em um aumento de calorias que você não pode imaginar. Uma colher de sopa de azeite de oliva, por exemplo, tem 120 calorias. Se não medir pode colocar duas, dobro de calorias, portanto.

Calcular as porções

Se você está tentando perder peso, sabe que comer as porções corretas é uma das partes mais importantes. Bem, estudos têm mostrado que somos muito ruins em calcular porções. Então temos que usar copos de medição ou escalas, para comer dentro de limites saudáveis.

Não cozinhar bem os legumes

Os vegetais são uma parte essencial de uma dieta equilibrada e é bom tentar aumentar o seu consumo. No entanto, é importante que você prepare o caminho certo para maximizar seus lucros.
A maioria são melhores crus, mas se você decidir que os fará cozidos, os faça bem cozidos.

Não seja um escravo da receita

As receitas são uma grande ajuda para preparar comida, mas é claro que você pode (e deve) ajustá-los às suas necessidades.
Se a receita pede manteiga, substitua-a por um bom azeite. 

"Bicar" enquanto cozinha

No máximo, ele soa para nós como normal, mas essas porções que comemos enquanto cozinhamos pode fazer uma diferença enorme.
Saborear a comida que você está fazendo é normal, mas se a fome está fazendo você comer mais, melhor encher um copo com água e tomar sempre que sentir que quer "bicar".

Usando muito queijo

O queijo é delicioso, sem dúvida, mas as pessoas tendem a abusar dele quando preparam a comida. Isto significa que você come uma grande quantidade de gordura e calorias e quase não percebe. Não vale a ilusão de que "você está comendo proteína", porque queijos mesmo frescos, contêm mais gordura do que proteína.
Deixe o queijo como um prato ou condimento, mas não o torne o centro de seu alimento se quiser manter um peso saudável.

No usar fibra suficiente

Se quiser algo simples, mas poderoso para perder peso, simplesmente coma mais fibras. De acordo com vários estudos, a partir do aumento da ingestão de fibra começa a perder peso, estará assim controlando sua dieta em todos os aspectos. Além disso, utilizando os ingredientes ricos em fibras ajuda a evitar problemas de colesterol e a aumento da pressão sanguínea.
Para melhorar imediatamente a sua saúde comece a consumir mais alimentos como lentilhas, feijão, grão de bico e outras muito ricos em fibras e nutrientes.

Enganado pelas gorduras boas

Ultimamente temos aprendido muito sobre gorduras saudáveis. É verdade que o abacate ou azeite nos fornecem nutrientes valiosos. Mas eles, por serem tão nutritivos não significa que você pode comê-los sem medida e não engordar. Estas gorduras engordam e causam danos à saúde (manteiga, banha e outras gorduras animais), lembre-se que gorduras devem ser consumidas com moderação.

Atenção às sobras

Quando você terminar de comer, livre-se das sobras o mais rápido possível. Caso contrário provavelmente acabará comendo um pouco mais do que se pretendia.

Fonte: MSN
Até a próxima

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Leguminosas, riqueza vegetal



A história das leguminosas se confunde com a própria história das civilizações. Os feijões já eram utilizados pelos astecas, incas e maias, enquanto que a lentilha é a leguminosa mais antiga consumida pelos povos da região Mediterrânea. Já a soja é consumida há séculos pelos asiáticos, que tradicionalmente a associavam ao arroz.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto Pixabay


As leguminosas têm pouca gordura e muita fibra em sua composição. Isso faz com que elas causem uma sensação de saciedade no organismo.

O que são

As leguminosas são plantas cujas sementes crescem em vagens. Incluem alimentos tão variados como o feijão, o grão-de-bico, as ervilhas, as lentilhas, as favas, o feijão-de-soja e o tremoço. Geralmente comemos apenas a semente.

Como preparar


As leguminosas, excepto as lentilhas, precisam de ser demolhadas antes de serem cozinhadas, já que precisam de restabelecer a água, retirada devido ao seu processo de secagem. Esta reidratação permite ainda reduzir o teor de antinutrientes, permitindo uma maior biodisponibilidade dos nutrientes (permite que os nutrientes possam ser melhor absorvidos pelo organismo). O processo de demolha pode ser feito de três formas:

• com água fria durante oito a 12 horas

• uma hora em água a ferver

• colocar as leguminosas em água e levar ao microondas durante 10 a 15 minutos e depois deixar repousar uma hora.

A água a adicionar deverá ser 750 ml por cada 250 g de leguminosas.

Truques para cozinhar

As leguminosas podem causar algum desconforto grastrointestinal a algumas pessoas, mas pode ser reduzido da seguinte forma:

• Demolhar sempre antes de as confeccionar

• Trocar a água uma ou duas vezes durante a demolha

• Rejeitar a água da demolha

• Enxaguar as leguminosas enlatadas

Aliadas da saúde e da dieta

As leguminosas são óptimas fornecedoras proteicas, no entanto contêm baixo valor biológico, o que significa que não possuem uma grande quantidade de aminoácidos essenciais.

Podem ser combinadas com outras leguminosas e com cereais, sobretudo integrais, de forma a que a proteína seja mais completa, mais idêntica às fontes de alto valor biológico fornecido pelas proteínas de origem animal.

Com pouca gordura e isentas de colesterol, contêm ainda hidratos de carbono, sobretudo complexos, de absorção lenta. Fornecem uma boa quantidade de fibra, vitaminas do complexo B, ferro, zinco, magnésio, potássio, fósforo e vários antioxidantes.

Para sensibilizar a população para a importância deste alimento, tanto a nível nutricional, como para lutar pela erradicação da fome e pela promoção da sustentabilidade ambiental, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura considerou 2016 o Ano Internacional das Leguminosas, aconselhando o consumo de uma a duas porções por dia.

• 1 colher de sopa de leguminosas secas cruas (25 g)

• 3 colheres de sopa de leguminosas frescas cruas (80 g)

• 3 colheres de sopa de leguminosas secas / frescas cozinhadas (80 g)

As leguminosas são também um dos ingredientes indispensáveis na Dieta Mediterrânea.

As melhores receitas para si

As leguminosas são óptimas como acompanhamento mas também como prato principal. Enriquecem pratos de arroz e de massa e podem ser adicionadas a sopas e purês.

Fonte: Pingo Doce

Até a próxima


quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Dicas para reconhecer e evitar úlcera gástrica


As paredes do estômago estão habitualmente protegidas dos efeitos do ácido normalmente presente nesse órgão e que é essencial para o processo digestivo. Se essa proteção for afetada pode formar-se uma úlcera. 

A úlcera gástrica, úlcera no estômago ou úlcera péptica é uma ferida no estômago que pode ser causada por vários fatores, sendo o principal os maus hábitos alimentares. 
 title=
© Pinterest
Entre os principais sintomas da úlcera estão dor de estômago, que ocorre principalmente após a alimentação. O tratamento é realizado normalmente com antiácidos, um medicamento que impossibilita ao suco gástrico do nosso estômago entrar em contato com a ferida e deixá-la em condição ainda pior.

Quais são as causas da úlcera gástrica?

➺ Presença de uma história familiar, 
➺ Idade avançada, 
➺ Dor crônica pelo uso prolongado de anti-inflamatórios, 
➺ Diabetes, 
➺ Tabagismo, 
➺ Café,  
➺ Estresse crônico,
➺ Presença da bactéria Helicobacter Pylori,
➺ Má alimentação

Como se manifesta

As queixas mais comuns são dores abdominais descritas como uma queimadura e que ocorrem 2 a 3 horas após as refeições. As dores tendem a ser piores quando o estômago está vazio e podem ocorrer durante a noite. Estas dores melhoram com o uso de antiácidos e com a ingestão de alimentos.
Os doentes com úlcera gástrica referem também dificuldade nas digestões, náuseas, vômitos, perda de apetite e de peso.

Exames, diagnóstico

➺ O diagnóstico baseia-se no exame médico e em exames complementares como a endoscopia.

➺ Durante a realização da endoscopia, é habitual serem recolhidos pequenos fragmentos de tecido para outros exames. A essa coleta dá-se o nome de biópsia.

➺ Existem testes específicos para detectar a infecção por H. pylori. Um deles é o teste respiratório, muito simples e muito fiável.

Recomendações alimentares

O exercício físico é igualmente um bom componente do tratamento e da prevenção da úlcera gástrica e de muitas outras doenças.

➺ Evitar o excesso ou até mesmo completamente a ingestão de refrigerantes, café, comidas ácidas, bebidas alcoólicas, frituras e alimentos condimentados, que podem acabar agredindo a mucosa do estômago.

➺  A maçã, cebola, alho e chá podem ajudar a inibir o crescimento do H. pylori.

➺ Espere o alimento esfriar um pouco antes de comer, coma devagar e mastigando bem a comida.

 No caso dos anti-inflamatórios, se eles forem indispensáveis, dever-se-ão utilizar também medicamentos protetores do estômago.

➺ Os alimentos picantes tendem a agravar os sintomas da úlcera, pelo que devem ser evitados.

➺ O tabaco, álcool, café (mesmo o descafeinado) e bebidas gaseificadas devem ser reduzidos porque aumentam a produção de ácido no estômago.

Prognóstico da úlcera gástrica

De um modo geral, com o tratamento adequado, a maioria das úlceras cicatriza em 6 a 8 meses. Contudo, podem ocorrer recaídas, sobretudo se o H. pylori não for eliminado.

Fontes:  Saúde CUFTextual Conteúdo


Até a próxima


domingo, 5 de junho de 2016

10 alimentos que ajudam a manter a pressão arterial em ordem


90% das pessoas com pressão arterial elevada não apresentam sintomas e, como consequência, podem receber o diagnóstico só depois de sofrer um derrame cerebral ou um ataque cardíaco. Em boa parte dos casos, um destino melhor para os vasos sanguíneos depende do acompanhamento com o cardiologista e da escolha correta dos alimentos incluídos no cardápio.
Foto: natuelife

Como medir a pressão arterial

Deve ser medida em repouso. Idealmente deve-se descansar cinco minutos antes de fazer a medição e convém que não se tenha ingerido café, álcool ou outros estimulantes, fumado ou feito exercício físico 30 minutos antes da medição. Deve-se estar na posição sentada com as costas e braços apoiados. A pressão arterial deve ser medida sempre à mesma hora e nas mesmas condições. Considera-se que uma pessoa é hipertensa, quando apresenta, em pelo menos duas ocasiões diferentes, um dos valores de pressão arterial (sistólica ou diastólica) ou ambos, iguais ou superiores a 140/90 mmHg.

Romã

As suas propriedades antioxidantes ajudam a controlar a formação de placas de colesterol e a reduzir a obstrução das veias.

Laranja 

Rica em fibra solúvel, reduz a absorção do colesterol que se ingere. Como é uma fonte de potássio, ajuda a controlar a pressão arterial.

Couve

Contém antioxidantes, vitaminas A e E, magnésio e fibras, o que contribui para a oxidação da gordura e diminuição de placas de colesterol. Contribui para a circulação, pois o magnésio melhora a elasticidade das artérias.

Alho

Por conter angiotensina, uma enzima, ajuda ao relaxamento dos vasos sanguíneos e melhora a circulação do sangue.

Vinho tinto

As uvas pretas promovem a elasticidade dos vasos sanguíneos e diminuem a formação de placas de colesterol. Beber com moderação.

Chocolate amargo

Comer 30mg por dia é um aliado para controlar a pressão arterial e diminuir as placas de colesterol.

Salmão, atum, sardinha

Os peixes ricos em ômega 3 são anti-inflamatórios, aumentam os níveis do bom colesterol e diminuem os níveis de triglicérides e o risco de arritmia.

Lentilhas

Como são fonte de fibras, magnésio, potássio e ácido fólico diminuem o risco de desenvolver uma doença cardiovascular.


Fonte: Dica da Semana

Até a próxima


quinta-feira, 12 de maio de 2016

O que são alimentos diuréticos



Os alimentos diuréticos possuem a função de aumentar o fluxo de micção para o tratamento de doenças como insuficiência cardíaca, pressão alta, diabetes, glaucoma, edema cerebral, hipercalcêmica e doença hepática. Muitos têm aderido aos diuréticos também para emagrecer, já que ajudam a controlar o peso e a eliminar líquidos do corpo. 
 title=
Imagem: Pixabay

A seguir confira o que são alimentos diuréticos e como utilizá-los da melhor forma. Seja qual for a finalidade do uso do diurético na sua vida, é importante saber que mesmo com opções manipuladas vendidas na farmácia, existem alimentos naturais que podem trazer ainda mais benefícios a você.

Saiba o que são alimentos diuréticos

Os diuréticos são responsáveis pelo bom funcionamento dos rins, a limpeza do sangue e eliminação de toxinas, tudo isso através da eliminação dos males no corpo pela urina. É sempre recomendável optar pelos diuréticos naturais, e o mais importante e mais básico de todos eles é a água. É recomendável beber de oito a dez copos diariamente.

Além da água, a água de coco, os sucos naturais, café e os chás são ótimos diuréticos que você pode ingerir diariamente. As frutas também são opção, há a melancia, a laranja, o melão e o abacaxi. Entre os legumes, você tem opções como o aipo, a cenoura, o aspargo, a salsa e o chuchu, e ainda há a vantagem de poder preparar chás, o melhor chá diurético é o de salsa.

Tipos de alimentos diuréticos

São três tipos de diuréticos que possuem dois efeitos em comum, a diminuição da água e limpeza do organismo.

1. Diuréticos Tiazídicos: esses são indicados para o tratamento de doenças cardiovasculares, pois são os únicos que podem ser usados como vasodilatadores. São compostos de hidroclorotiazida e indapamida.

2. Diuréticos de Alça: eles recebem esse nome, pois atuam nas alças dos rins, removendo quantidades excessivas de sódio neles, isso estimula a eliminação urinária. Compostos de furosemida, são usados principalmente no tratamento de insuficiência cardíaca.

3. Diuréticos de poupar potássio: além de sódio, água e toxinas extras no corpo, o potássio também precisa ser eliminado em excesso também precisa ser eliminado. Para que o organismo não sofra com a falta do nutriente esse tipo de diurético é recomendável, pois elimina somente o que não é mais necessário.

Diuréticos no emagrecimento

A ingestão continua de diuréticos vai fazer bem para o seu corpo e a perda de líquido constante trará a sensação de emagrecimento, mas isso não significa que você estará realmente perdendo peso.

Os diuréticos eliminam apenas líquido, e não gordura, fazer uma dieta a base somente desse tipo de alimento pode causar uma queda no nível de potássio no seu sangue e acarretar em problemas cardíacos.

O diurético ajuda a manter o peso e seu organismo em funcionamento para ficar firme e saudável para receber o impacto de exercícios físicos e de uma dieta com diversos outros tipos de alimentos e seus benefícios, é assim que esse tipo de alimento pode ajudar no emagrecimento.


Fonte: Ponto XP

Até a próxima


segunda-feira, 2 de maio de 2016

Alimentos com menos de 50 calorias perfeitos para uma dieta



Para o lanche que serve para saciar temporariamente a fome de uma pessoa, prover uma pequena quantidade de energia ou mesmo apenas para satisfazer o paladar. Lanchinho da tarde já pode deixar de ser considerado coadjuvante e deve ser planejado com tanta atenção quanto o almoço e o jantar.
www.emagrecerumdesafio.com
© Thinkstock

Sabemos que as cenouras são ricas em carotenoides e antioxidantes, que auxiliam na saúde da pele, combatem o envelhecimento e a formação de radicais livres e que para manter-se bem nutrido é essencial que o petisco não seja rico em calorias, sódio e gordura saturada ou gordura trans.

Chocolate
Cerca de 12g de chocolate tem, em média, 48 kcal, mais ou menos 2 quadradinhos da barra.

Suco de fruta
Para cada 200ml, conte 48 kcal. Mas lembre-se, estamos falando de sucos leves, não vale um suco de açai, uma vitamina de banana.

Groselhas
125g contabilizam 41 kcal.

Pimentão
Para 200g , cerca de 34 kcal.

Acelga
Para 100g de acelga, você tem 25 kcal.

Azeitonas
Em cerca de 25g, temos 49 kcal.

Canônigos ou alface da terra
50g = 7 kcal

Torradas
Para uma torradinha (tipo as de pacote, compradas prontas), 36 kcal.

Laranjas
Para 100g, você tem 46 kcal.

Abobrinha
200g de abobrinha tem 36 kcal.

Couve
Para 200g desta delícia, você tem 50 kcal.

Tomate
100g = 28 kcal

Pepino
100g = 12 kcal

Morangos
125g = 45 kcal

Espinafre
200g = 32 kcal

Aspargos
200g = 36 kcal

Cenoura
200g = 50 kcal

Repolho
150g = 15 kcal

Rúcula
100g = 25 kcal

Leite semi desnatado
100ml = 36 kcal

Flocos de aveia
100g tem certam de 34 kcal.

Beterraba
125g = 40 kcal

Couve de Bruxelas
100g = 26 kcal

Salsão ou Aipo
100g = 24 kcal

Biscoitos tipo Cream-Cracker
1 biscoito (12g) = 41 kcal

Tangerina
Para uma tangerina (ou mexerica) de mais ou menos 50g, contem 23 kcal.

Rabanete
150g = 21 kcal

Presunto cozido sem gordura
30g = 38 kcal

Pêssegos
1 pêssego de mais ou menos 125g tem 50 kcal.

Blueberry ou Mirtilo
125g = 48 kcal

Devemos levar em consideração que a fome acumulada, normalmente, interfere nas escolhas na hora das refeições, fazendo com que as pessoas optem por porções maiores, mais calóricas e gordurosas.

Referências: GNT,MSN


Até a próxima


sábado, 16 de abril de 2016

Dicas sobre perda de peso que deve ignorar completamente



No que diz respeito à perda de peso, existem mil um métodos e teorias na internet, mas nem tudo é benéfico ou eficaz. A ‘Authority Nutrition’ reuniu algumas dicas de perda de peso que deve ignorar.
 title=
© Fornecido por Mood

Concentrar-se apenas nas calorias não é o principal.

O tipo de alimento que come também tem um enorme impacto na questão da fome e nas hormonas que controlam o peso, pois podem afetar a sua capacidade de alcançar o deficit de calorias necessárias para a perda de peso.

Minimizar alimentos ricos em gordura natural como, por exemplo, o abacate é uma má ideia. 

A gordura tem o dobro de calorias como proteínas, mas é mais rica e leva mais tempo a digerir. Dietas baixas em gordura têm, geralmente, um histórico pobre no que concerne à perda de peso. Não falamos de gorduras saturadas, mas sim de gorduras naturais (abacate, coco, nozes, etc).

Fazer muito exercício cardiovascular é excelente para o coração, para a redução do stress e para a saúde em geral.

No entanto, não depende dele para perder peso e tudo depende do indivíduo. Deve combinar cardio com musculação para obter melhores resultados.

O conselho convencional é de que se perder peso lentamente, a probabilidade de manter o seu peso baixo é maior.

Embora seja certamente bom perder peso devagar, pesquisas recentes indicam que a perda de peso rápida inicial não aumenta o risco de recuperação do peso perdido. A perda de peso rápida parece ser benéfica para a perda de peso a longo prazo. No entanto, alguns métodos de perda de peso são melhores que outros e deve ter isso em atenção.

Os batidos detox são muito populares e prometem a perda de peso.

Qualquer dieta baixa em calorias causa perda de peso, mas é improvável que produza resultados duradouros. Não vale de nada fazer uma limpeza (detox) se não estabelece hábitos alimentares saudáveis.

Não se pese todos os dias.

O seu peso pode variar diariamente, em resposta a vários fatores. Por esta razão, aconselha-se a que não se pese todos os dias quando tenta perder peso. No entanto, investigadores garantem que a pesagem diária não leva a transtornos alimentares ou efeitos psicológicos negativos. Aliás, pode servir como incentivo e mostra-lhe que está na direção certa.

Coma sempre o café da manhã, mesmo quando não tem fome.

Decerto que já ouviu isto milhares de vezes, no entanto, tomar o pequeno-almoço não é necessariamente benéfico para a perda de peso. Se não tiver fome, não há nenhuma razão para comer. Caso tenha, prefira uma refeição alta em proteínas para se sentir satisfeita durante mais tempo.

Comer a cada 2-3 horas para manter o metabolismo é mito.

Na maioria das vezes, com este método, acaba por consumir mais calorias. 

Fonte: Mood

Até a próxima


domingo, 10 de abril de 2016

Porque apenas a força de vontade não é suficiente para emagrecer



Um novo estudo que investiga a psicologia por trás de perder peso sugere que, ao invés da tão proclamada força de vontade, o temperamento é que pode influenciar as escolhas alimentares. A principal pesquisadora, Lynette Mackey, do Instituto de Saúde e Biomédica Inovação da Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, disse que a pesquisa foi concebida para determinar se características de personalidade específicas podem estar relacionadas ao excesso de peso ou obesidade.

www.emagrecerumdesafio.com

“A comida fornece o sinal neurológico da recompensa para o cérebro e os que têm um tipo de personalidade que seja sensível a recompensas são mais propensos a comer alimentos saborosos, doces e com muita gordura simplesmente porque é gratificante”, explica.

Ela afirma que os programas de controle de peso incentivavam o uso de comportamento autorresponsável e quantidades significativas de força de vontade por parte dos participantes.

“Sabemos que existem pessoas que lutam contra seu comportamento alimentar quando experimentam emoções negativas”, diz. “O que nós não sabemos é qual fator do temperamento influencia mais o comportamento de comer demais”.

A pesquisadora argumenta que a capacidade de “parar e pensar” antes de agir é governada por um fator temperamental conhecido como “controle de esforço”. “Aprendemos com o tempo a abordar as coisas que são gratificantes e evitar coisas que são punitivas simplesmente em resposta a como nos sentimos. Outra parte do temperamento é ser sensível à punição”.

Para aqueles valorizam a recompensa, o medo de perder, de se frustrar ou se entediar fazendo algo desestimulante cria momentos de desconforto e punição. “A minha observação como médica clínica sugere que muitos clientes falham em suas tentativas de controle de peso quando estão ocupados, distraídos, entediados, desconfortáveis ou angustiados de alguma forma”.

Ela conta que uma questão-chave na pesquisa foi determinar em que medida o tipo de temperamento que era sensível a punição influenciava o tipo de temperamento que também era sensível a recompensa e se esse comportamento influenciava excessos alimentares. “Faz sentido que, se alguém é sensível às emoções desconfortáveis que surgem do temperamento, então a comida, que é inerentemente gratificante, pode ser usada para melhorar o humor”. Assim, a tarefa de emagrecer se torna bem mais desafiadora.

O estudo envolveu quase 200 homens e mulheres não fumantes com idade entre 18 e 65 anos, com um índice de massa corporal de 25 ou mais e que não sofrem de um transtorno alimentar. [MedicalXpress

Fonte: hypicience 

Até a próxima


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O que são e como tratar aftas


As aftas são feridas arredondadas, que ardem muito e bastante incômodas, que formam-se no interior da boca. Elas costumam atingir especialmente as mulheres, adultos jovens e crianças. Apesar do desconforto que essas feridas causam, não costumam representar motivos para preocupações. Para saber como evitar aftas, é necessário compreender melhor esse tipo de ferida.

www.emagrecerumdesafio.com
© Getty Images

Sua causa não é completamente compreendida, pode ser  desencadeada por uma variedade de fatores que variam entre os indivíduos: podem incluir deficiências nutricionais, trauma local, stress, influências hormonais, alergias e predisposição genética, dentre outros.

Muitas pessoas buscam uma fórmula de como evitar aftas, para não precisar lidar com o incômodo ao comer ou falar. Mesmo não se tratando de uma doença infecciosa, transmitida por via direta, a afta tende a incomodar a maioria da população, pelo menos uma vez.

Uma das melhores maneiras de conseguir evitar o surgimento de aftas é manter o estresse longe, deixando corpo e mente em equilibro. Adotar uma dieta balanceada, praticar atividades físicas com regularidade e dormir em quantidade saudável é a principal forma de manter as aftas afastadas. Além disso, ter o cuidado de mastigar os alimentos com calma, o que além de garantir uma boa digestão, diminuirá consideravelmente as chances de você acabar mordendo suas bochechas ou sua língua sem querer.

Origem e tratamento das aftas

O desenvolvimento de aftas também pode estar associado ao consumo de determinados alimentos. Entre eles, é recomendável não exceder-se no consumo de chocolate, café, amendoim, amêndoas, morango, queijo, tomate, batata, leite de vaca, frutas cítricas, figo, canela e farinha de trigo. E, claro, os ingredientes citados anteriormente também funcionam como estimulantes dessas feridas tão desagradáveis na boca. Também evitar excessos em ingredientes como temperos, glúten, óleos essenciais e agentes que realçam o sabor. Outra dica importante é substituir a escova dental tradicional por um modelo que tenha cerdas mais macias e uma cabeça menor. Uma saúde bucal em dia também é fundamental para prevenir as aftas. Portanto, consulte periodicamente um dentista.

Em geral, boa parte das aftas costuma ser resultado de uma mordida involuntária. Além disso, as aftas podem surgir como resultado de outros tipos de machucados acidentais no tecido da boca, que tendem a evoluir para aftas. Outra forma de ter esse o problema é passar o fio dental descuidadamente, o que pode resultar em uma ferida. Além disso, algumas pessoas desenvolvem aftas por estímulos como ansiedade e stress. Nas mulheres, até mesmo variações hormonais podem desencadear o surgimento de aftas.

Normalmente, as aftas não requerem nenhum tratamento específico para sua cicatrização, já que tendem a se curar e desaparecer sozinhas. Mas se elas forem muito incômodas ou estiverem piorando ao comer ou falar, é possível aliviar o incômodo usando algumas estratégias para ajudar o seu organismo a se livrar mais rápido do machucado, como evitar alimentos que já tenham sido associados à formação de aftas, incluindo os cítricos, certos temperos, o queijo e o leite de vaca e as amêndoas. Opte por alimentos fáceis de mastigar.


Referências: Textual Conteúdo

Até a próxima


terça-feira, 10 de novembro de 2015

Benefícios de consumir gengibre


O gengibre é um vegetal nativo da Ásia que pode ser muito vantajoso para o organismo. Trata-se de uma raiz tuberosa, que costuma ser usada tanto na culinária como também na medicina. Já foram comprovados inúmeros benefícios de comer gengibre, como sua ação terapêutica, sua ação desintoxicante, além da capacidade de melhorar o desempenho do sistema digestivo, circulatório e respiratório.
www.emagreceumdesafio.com
Imagem Pixabay

É ainda reconhecido como um alimento termogênico, que consegue acelerar o metabolismo e favorecer a queima de gordura corporal. Mas não é só isso, pois os benefícios de comer gengibre são diversos e podem ser conferidos a seguir.


Benefícios de comer gengibre


O gengibre é referência no tratamento natural para problemas do estômago, pois além de combater enjoos, ainda atua para melhorar sintomas de gases, indigestão e náuseas causadas pelo tratamento do câncer e perda de apetite. Esse vegetal também contribui para a digestão de alimentos gordurosos. Por conta dessas propriedades, o gengibre costuma ser usado na fabricação de medicamentos antiácidos, antigases e laxantes.

Outro importante benefício do gengibre é o combate ao mau hálito, à ressaca e também à cólica menstrual. Devido ao seu poder anti-inflamatório, o gengibre também pode atuar no alívio de dores de artrite, desconfortos musculares, tosse, bronquite e outras infecções respiratórias. O gengibre integra, inclusive, a formulação de vários xaropes, por suas propriedades antibióticas e anti-inflamatórias.

O gengibre ainda permite e extração de um óleo que é bastante eficaz no tratamento de queimaduras. Além disso, o óleo e o consumo do gengibre em sua forma natural também desempenham um importante papel na dieta, uma vez que ajudam a manter o paladar e o olfato estimulados, o que contribuiu para a diminuição do uso do sal para temperar alimentos. Se consumido em forma de chá, o gengibre aumenta o consumo de líquidos e favorece a hidratação, ajudando na eliminação de toxinas.



Entre os benefícios de comer gengibre, um dos principais é a perda de peso. Isso porque o seu corpo consome energia em todas as atividades que realiza, mesmo o processo digestivo. O gengibre é um alimento termogênico, capaz de aumentar o gasto calórico do organismo enquanto realiza a digestão ou o processo metabólico normal. Quanto mais difícil for a digestão de determinado alimento, maior será o poder termogênico do gengibre.

O gengibre apresenta substâncias termogênicas que têm a capacidade de aumentar a temperatura do corpo, aumentando a queima de gordura e acelerando o metabolismo. Isso ocorre porque a termogênese é um processo regulado pelo sistema nervoso e o emagrecimento é favorecido por interferências neste sistema. O consumo do gengibre pode ajudar a aumentar o gasto calórico em mais de 10%, desde que você alie o consumo do gengibre a uma dieta regrada associada a exercícios físicos.

O gengibre também é rico em uma substância chamada gingerol, que tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, que ajudam o corpo a ficar protegido de fungos e bactérias. Ele é o que dá o sabor picante ao gengibre. As propriedades terapêuticas dessa raiz têm relação com a ação conjunta de várias substâncias presentes no óleo essencial do gengibre, rico em zingerona, zingibereno, felandreno e cafeno.

Fonte: Textual Conteúdo

Até a próxima

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A importância da reeducação alimentar


Apesar de parecer ser feita somente para pessoas que tem algum problema de saúde relacionado à má-alimentação, a Reeducação Alimentar é um processo de mudança da alimentação, mas também de comportamento. O melhor de tudo é que ela e serve para qualquer pessoa em qualquer faixa etária, até mesmo para aquelas que não sofrem nenhum tipo de doença, mas que desejam melhorar seus hábitos.
www.emagrecerumdesafio.com
Imagem Pixabay


A reeducação alimentar promove uma vida mais saudável, mas mais do que isso, traz resultados imediatos que são visíveis na pele. Afinal, ao optar por refeições equilibradas no seu dia-a-dia, você sentirá os efeitos de retardo no envelhecimento da pele, cabelos mais sedosos e macios, mais energia para suportar a carga diária e mais disposição para praticar atividades de lazer e esporte.

Isso porque um grande benefício da reeducação alimentar é que ela muda os hábitos das pessoas, o que ajuda a emagrecer. Apesar de não ser uma dieta, a proposta da reeducação alimentar tende a colaborar para que você perca aqueles quilinhos indesejados.

Mas diferente do que ocorre em qualquer regime mais radical, no processo de reeducação alimentar você pode consumir chocolates ou outros doces, desde que seja na quantidade certa. Outra vantagem é que você aprende a comer nos horários certos e em quantidade adequada para o seu biótipo.

Se você aliar a reeducação alimentar à atividade física, poderá alcançar uma qualidade de vida ainda maior e não apenas vai combater, mas também prevenir doenças como diabetes, colesterol alto e hipertensão.

Para iniciar uma Reeducação Alimentar você deve procurar um nutricionista, que avaliará seu peso, altura, seu diagnóstico de problemas de saúde hereditários ou não, intolerâncias alimentares, de outras doenças crônicas, associadas e seus hábitos do cotidiano de modo que possa lhe passar um cardápio que atenda as suas necessidades de alimentação diária, com os horários que acompanhem seu ritmo.

Alguns especialistas da área, além de realizarem o diagnóstico e a prescrição de uma alimentação mais saudável, oferecem ou indicam palestras e mini-cursos que podem ajudar na orientação do paciente sobre a quantidade, qualidade e o valor nutricional de cada alimento. A reeducação alimentar é desenvolvida no período das consultas ao nutricionista e não requer nenhum medicamento adicional.

Fonte: Textual Conteúdo

Até a próxima


sábado, 19 de setembro de 2015

Comer sem estar com fome compromete a dieta


O velho ditado "tudo em excesso faz mal" tem que ser levado a sério quando trata-se de alimentação.
www.emagrecerumdesafio.com

O estudo foi realizado na faculdade de medicina norte-americana Rutgers Robert Wood Johnson, em New Jersey, e divulgado na publicação científica Cell Reports. Cientistas acreditam que a falta de um hormônio no cérebro pode levar as pessoas a comer demais sem estar com fome e apenas pelo prazer. Além desta há outras razões.

Comida "light"

Um estudo publicado no Journal of Marketing Research demonstrou que quando os alimentos tem a etiqueta "light" ou relacionada muitas pessoas têm tendência para inconscientemente comer mais e exercitar-se menos. Com isso criam a ideia de que estar comendo algo "light" estão cuidando do corpo e não há necessidade de exercícios. A forma correta para evitar esse equívoco é informar-se. Conheça os ingredientes e avalie se o seu corpo precisa daquele alimento.

Bebida alcoólica

O journal Obesity sugere que beber álcool deixa o cérebro das mulheres mais sensíveis aos cheiros dos alimentos, com isso farão escolhas mais calóricas e comerão mais. Além das calorias que a bebida pode conter. Não devemos esquecer também as bebidas "light" que tem adoçantes artificiais que fazem muito mal à saúde. Se optar por beber álcool escolha uma refeição mais leve, o menu do restaurante geralmente faculta várias opções. Se oferecer um jantar em casa sirva pratos saudáveis, como petiscos leves e não esqueça a salada.

Petiscar com frequência

Os pequenos lanches pelo menos entre o café da manhã e o almoço e entre o almoço e o jantar não são proibidos. O que pode complicar a dieta é petiscar sem estar com fome. Um estudo publicado no journal Eating Behaviors concluiu que petiscar pode engordar tanto como comer comidas calóricas ou porções grandes. Convém dar alguma atenção ao nível de saciedade antes e depois de cada refeição e lanche, bem como os pensamentos e humor. Ao prestar atenção a isto pode aperceber-se que muitas vezes comeu sem estar com fome, porque ofereceram comida, ou porque estava ansioso ou triste.

Até a próxima


segunda-feira, 11 de maio de 2015

6 alimentos que nos deixam com mais fome



O que é a fome?


"A fome é o resultado de muitas interações complexas que ocorrem no estômago, intestinos, cérebro, pâncreas, e na corrente sanguínea", diz a especialista em perda de peso doutora Sue Decotiis.

www.emagrecerumdesafio.com
© Iamzito/Creative Commons
Em um estudo espanhol recente, os pesquisadores acompanharam os hábitos alimentares e pesos de mais de 9.000 pessoas e descobriram que aqueles que comeram duas ou mais porções de pão branco por dia tinham 40% mais probabilidade de se tornarem obesos ou com sobrepeso ao longo de um período de cinco anos em comparação para aquelas que comeram menos.
A farinha utilizada neste tipo de pão não contém farelo, dando a sensação de saciedade. E ainda aumenta os níveis de insulina, explica a médica Sue Decotiis, especialista em Medicina Interna que se dedica à área de controle de peso.

Pizza

Deliciosas e irresistíveis. Geralmente é consumida em excesso. Poucas são as pessoas que dão-se por satisfeitas ao comer uma fatia. A massa contém farinha, óleos, queijo processado e conservantes. Todos eles alteram os níveis de açúcar, bem como os hormônios que controlam a saciedade e ativam regiões do cérebro que controlam a fome.

Salgados

Batata frita, croquetes, rissoles, entre outros aperitivos não fazem bem e pior, não saciam. Além de digerirem mais rapidamente que os carboidratos, colaboram para que os níveis de insulina subam e desçam rapidamente, e como consequência tenha fome mais cedo. Tal como o pão branco é um carboidrato que obriga o pâncreas a trabalhar em excesso. Quando comemos carboidratos a mais, o pâncreas trabalha mais, produz mais insulina, hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue.
Por fim os níveis de elevados de insulina, o que faz com que os níveis de açúcar abaixem muito, e por sua vez aparece a fome. E claro, isso sem naquilo que se come para acompanhar a massa.

Álcool

O álcool não apenas diminui sua determinação por alimentação saudável, francamente faz você ficar com mais fome. De acordo com pesquisa publicada sobre o álcool e alcoolismo, apenas três porções pode reduzir os níveis de leptina (é um hormônio que age no Sistema Nervoso Central, em particular no hipotálamo, inibindo o consumo alimentar em longo prazo e estimulando o gasto energético), do seu corpo. "O álcool também pode esgotar estoques de carboidratos do seu corpo (chamado de glicogênio), fazendo com que você queira comer carboidratos, a fim de substituir o que foi perdido", diz Dr. Decotiis.

Sucos

Os sucos naturais contém todo o açúcar da fruta, mas não a polpa ou a pele, que contém fibras. Ao ingerir um copo de suco, está aumentando os níveis de açúcar no sangue que depois voltam a baixar rapidamente. Isto leva a que não fique saciado, logo depois estará sentindo fome, esclarece Mitzi Dulan, autora do livro "The Pinterest Diet: How to Pi Your Way Thin". Mas não é caso para desespero, existe solução. Opte por uma vitamina de fruta, com a fruta inteira e junte proteína em pó para ficar mais saciado.

Adoçantes artificiais

Se eles estão em seu refrigerante diet ou polvilhado em seu café, adoçantes artificiais (aspartame, sucralose, sacarina, e outros) excitam as células do cérebro, fazendo-os pensar que estão prestes a obter uma porção de doce de energia, e depois decepcioná-los, é duro, diz o Dr. Decotiis. O resultado: Você pode almejar e comer mais doces ao longo do dia, tentando compensar a decepção. Com o tempo, este processo pode realmente afetar os centros do cérebro de controle da fome, diz ela. E veja só: Já verificou-se em estudos que os adoçantes artificiais causam picos de insulina assim como, açúcar de verdade repleto de calorias.

Fast-food

Praticamente todos os ingredientes atrás de um balcão de fast-food é projetado para fazer da sua uma super refeição. Por exemplo, a gordura trans inflama o intestino, potencialmente prejudicando a capacidade do corpo para produzir neurotransmissores controladores de apetite, como a dopamina e a serotonina, diz o Dr. Decotiis. Enquanto isso, o trato gastrointestinal absorve xarope de milho (comumente encontrados em pães, condimentos e sobremesas) rapidamente, causando picos de insulina e ainda maior fome. Por último, enormes porções do alimento rápido de sal pode estimular a desidratação. E com sintomas que imitam os de fome, é fácil te enganar e você pensará que precisa voltar a comer novamente.

A não esquecer

Uma dieta equilibrada deve conter, preferencialmente, óleos vegetais líquidos, frutas, carne vermelha magra, vegetais, carne de peixe e frango sem pele, leite e derivados sem gordura. Frituras e principalmente salgadinhos, biscoitos e lanches rápidos devem ser evitados. Não sacie a fome com bolachas.

Este artigo foi publicado originalmente em health.com


Até a próxima