Mostrando postagens com marcador câncer. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador câncer. Mostrar todas as postagens

domingo, 24 de setembro de 2017

Como se desenvolve o câncer de fígado


Pesquisadores da Universidade de Zurique acabam de fazer uma grande descoberta sobre como câncer de fígado se desenvolve no corpo.

O câncer de fígado é o segundo mais mortal do mundo, que representa 788.000 mortes por ano, segundo a OMS. Recentemente, uma grande descoberta acaba de ser publicado por pesquisadores da Universidade de Zurique (Suíça) sobre como esse tipo de câncer se desenvolve. De acordo com eles, o papel principal é atribuído a uma enzima denominada caspase-8, tem um papel tanto como gatilho da doença como protetora para o corpo.
www.emagrecerumdesafio.com
© Adobe Stock 

Uma proteína que faz a morte celular e a proteção

Os pesquisadores ao observar o processo em ratos de laboratório, notaram que "esta proteína poderia programar a morte progressiva das células do fígado." Isto resulta num mecanismo de defesa do organismo que produz mais células para se regenerar. O problema é que o aumento do número de células adicionadas a algumas alterações genéticas herdadas ou em DNA aumenta o risco de que um deles sejam carcinógenos e desenvolvam a doença.

Para os pesquisadores, o fato é que isso implica um sistema de proteção é uma boa notícia e vale a pena perseguir e desenvolver novas formas de luta contra o câncer de fígado.

O câncer de fígado: os sinais de alerta

O câncer de fígado pode ocorrer por dor abdominal, febre, fadiga, sensação de peso gástrico, perda de peso, vômitos, icterícia, ascite (acúmulo de líquido na cavidade abdominal). Mas na maioria dos casos é descoberto durante um ultra-som ou após supervisão para cirrose ou outro câncer. Mais de um terço de metástase são do câncer de fígado.

Os sintomas geralmente aparecem quando o tumor se espalha para órgãos vizinhos.

Fonte: MSN/Medisite

Esta informação é publicada apenas para fins informativos e não substitui o aconselhamento médico.

Até a próxima


sexta-feira, 14 de julho de 2017

A incidência do câncer da pele tem aumentado em todo o Mundo



A probabilidade de se desenvolver melanoma aumenta com a idade, embora a doença afete pessoas de todos as classes etárias. Aprenda a preveni-lo. Este é uma variante grave do câncer da pele que atinge os melanócitos (células que dão cor à epiderme). Se não for detectado a tempo, pode ser mortal. Nos casos mais graves, produz metástases noutros órgãos, espalhando-se através do sangue ou do sistema linfático.
www.emagrecerumdesafio.com
Crédito Miguel A. Lopes/Lusa

Não existe um câncer de pele, existem vários tipos, conheçam as várias fases que um câncer pode ter, para fazerem o autoexame.

Entre os tumores mais frequentes, e com uma forte relação com a exposição solar ao longo dos anos, encontram-se o carcinoma basocelular e o carcinoma espino-celular. O melanoma maligno, a forma mais perigosa de câncer cutâneo, é menos frequente. Este tipo de câncer está mais associado à exposição intensa por curtos períodos».

Sobretudo em pessoas de pele clara, sardentas e com dificuldade em bronzear. É importante prevenir as queimaduras solares e vigiar regularmente os sinais atípicos e, caso se note alguma alteração, deve consultar-se um dermatologista. Ninguém deve estar exposto diretamente ao sol no período entre as 11h30 e as 17h30.

Causas

A sua origem pode ser genética (ligado à história familiar) mas, em muitos casos, é ambiental. É provocado por uma exposição excessiva à radiação solar e pode ser retroativo (uma queimadura solar sofrida na infância pode provocar um melanoma em idade adulta).

Sintomas

Pode aparecer num sinal antigo ou num novo, com alterações no tamanho, forma ou cor, com exsudação ou sangue, ardor, dor ao toque e volume.

As várias formas de combater o melanoma, estas são as mais comuns:

- Tratamento cirúrgico

Remoção cirúrgica do tumor primário, acompanhada de quimioterapia ou radioterapia.

- Terapia biológica

Também conhecida como imunoterapia, é uma técnica muito recente e tem como objetivo fazer com que o próprio organismo combata o câncer. Utilizam-se materiais como o interferão para impulsionar ou direcionar as defesas do corpo contra o tumor. Esta terapia melhora as hipóteses de cura em cerca de 10%.

Prevenção

O melanoma pode ser prevenido desde a infância através de uma proteção solar adequada. As pessoas de pele muito branca, as que trabalham ao ar livre e os esportistas devem ter cuidados redobrados.

Fonte: Revista Prevenir

Até a próxima


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Câncer de pulmão quadruplica o risco de suicídio, diz estudo



O risco de suicídio é 4 vezes mais elevado para os pacientes com câncer do pulmão do que pessoas com qualquer outras formas da doença, revela estudo.
 title=


Pacientes com câncer de pulmão são quatro vezes mais propensos a sofrer pensamentos suicidas do que os pacientes diagnosticados com qualquer outra forma da doença, afirma um novo estudo.

Os investigadores analisaram 3.640.229 pacientes no banco do dados nacional dos Estados Unidos em registros de câncer ao longo de um período de 40 anos 1973-2013.

Eles compararam isso com mortes por suicídio para todos os tipos de câncer e de pulmão, próstata, mama e colorretal individualmente. Diagnósticos de câncer foram associados com 6,661 suicídios.

E enquanto qualquer diagnóstico de câncer de aumento do risco de uma pessoa pensar em suicídio foi de 60%, câncer de pulmão quadruplicou o risco.

Especialistas dizem que isso poderia estar em grande parte ligada ao fato de que o câncer de pulmão muitas vezes pode ser o resultado de fumar - por isso pode ser um forte sentimento de culpa.

As taxas de sobrevivência são baixas, o que muitas vezes aumenta a ansiedade.  
E os pacientes podem também ter que lutar com outras doenças relacionadas com o tabagismo como doença cardíaca ou diabetes.

Entre os pacientes com câncer de pulmão, os asiáticos foram vistos como tendo um risco mais de 13 vezes de suicídio, enquanto o número de vítimas do sexo masculino foi nove vezes maior do que o número de mulheres. 

Fonte: DailyMail

Até a próxima


domingo, 29 de maio de 2016

O que o álcool faz ao seu corpo



Já todos ouvimos dizer que um copo de vinho faz bem ao coração, Mas todos os órgãos sofrem quando o consumo é excessivo.

www.emagrecerumdesafio.com
Imagem Pixabay
Mensagens erradas

O perigo do álcool está no fato de se tratar tanto de um depressor como também um estimulante indireto. O álcool afeta a química cerebral, ao alterar os níveis de neurotransmissores (moléculas que fazem a comunicação entre os neurônios). É o mesmo que dizer que o álcool altera o controle dos processos, dos comportamentos e das emoções, criando excitação ou inibição.

E, se em pequenas doses causa excitação e euforia, em excesso funciona como um depressivo; provoca mudanças de humor e de comportamento, dificulta a clareza de raciocínio e até a coordenação. Prejudica mesmo a formação e desenvolvimento de novos neurônios.

E o pâncreas também sofre

O álcool pode provocar inflamação do pâncreas (pancreatite), causando destruição do tecido e, em consequência, das células que produzem insulina, o hormônio que, quando não é produzida em quantidade suficiente, abre a porta à diabetes. Há ainda o risco de câncer.

Coração em risco

Com o álcool, o coração é obrigado a um maior esforço para bombear o sangue. A pressão arterial aumenta e, com o tempo, pode desenvolver-se uma condição designada por cardiomiopatia - isto é, os músculos do coração ficam mais relaxados e fracos e, portanto, menos eficientes. No limite, podem ocorrer situações como um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral.

Fígado é impedido de funcionar bem

O fígado é o órgão que se associa de imediato ao consumo de álcool, E assim: há o risco de hemorragias, de inflamação e posterior desenvolvimento da chamada hepatite alcoólica, bem como o risco de cirrose, doença que se caracteriza pela substituição do tecido saudável por tecido cicatrizado, o que impede o funcionamento do fígado e pode conduzir à morte.

Câncer à vista


Além do câncer do pâncreas, há outros cujo risco aumenta com o abuso de bebidas alcoólicas: é o caso de todos aqueles que envolvem as partes do corpo em contato com o álcool, como a boca, a laringe, a faringe e o esôfago. O risco aumenta quando se é também fumante.

Fonte: Revista PH

Até a próxima


quarta-feira, 27 de abril de 2016

10 passos para reduzir o risco de câncer da pele


Ao contrário dos outros cânceres que ocorrem na maioria dos casos em pessoas acima de 70 anos, os carcinomas na pele são comum também entre os 20 aos 35 e afeta também crianças e adolescentes.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto clinicacmp

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a incidência do câncer de pele tem aumentado.

Tipos de câncer de pele

Carcinoma basocelular (CBC) - É o mais prevalente dentre todos os tipos de câncer. Surgem mais frequentemente em regiões mais expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas. Podem se desenvolver também nas áreas não expostas, ainda que mais raramente.

Carcinoma espinocelular (CEC) - É o segundo mais prevalente dentre todos os tipos de câncer. Manifesta-se nas células escamosas, que constituem a maior parte das camadas superiores da pele. Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc.

Melanoma - Tipo menos frequente dentre todos os cânceres da pele. O melanoma tem o pior prognóstico e o mais alto índice de mortalidade. Embora o diagnóstico de melanoma normalmente traga medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura são de mais de 90%, quando há detecção precoce da doença. O melanoma, em geral, tem a aparência de uma pinta ou de um sinal na pele, em tons acastanhados ou enegrecidos.

Outros

Há ainda outros tipos de câncer de pele mais raros que atingem outras células, como:

⇢ Tumor de células de Merkel
⇢ Sarcoma de Kaposi
⇢ Linfoma de cutâneo de células T (câncer do sistema linfático que pode atacar a pele)
⇢ Carcinoma sebáceo (surge nas glândulas sebáceas)
⇢ Carcinoma anexial microcístico (tumor das glândulas sudoríparas).

1 - Aplique protetor solar diariamente nas áreas mais expostos. No rosto, pode aplicar o creme de dia, o protetor solar e, depois a maquiagem.

2 - Não utilize solários e lâmpadas UV para se bronzear, pois também expõem a pele à radiação solar. A opção segura é aplicar autobronzeador e protetor solar.

3 - Evite a exposição solar entre as 11 e as 17 horas.

4 - Se for para a praia ou piscina aplique protetor solar 30 minutos antes de sair.

5 - Idealmente adultos e crianças devem usar protetor solar com FPS 50+ (e nunca inferior a 30). No caso de crianças pequenas devem utilizar um protetor solar específico para crianças (indicado na embalagem). Use protetor labial.

6 - Reaplique o protetor solar, no mínimo, de duas em duas horas. Um mergulho ou suar muito obriga a uma reaplicação.

7 - Use a quantidade adequada de protetor solar, economizar na quantidade não é aconselhável. Segundo a American Cancer Society, a medida orientadora é cerca de uma mão cheia. Não esquecer que as orelhas também devem receber protetor solar.

8 - Use roupas de algodão e chapéu de abas largas. Camisa molhada deixa passar a radiação solar, tenha atenção a isso.

9 - Opte por óculos de sol que ofereçam proteção UV, pois estará protegendo não só os olhos como a zona ocular.

10 - Vigie a cor, o contorno e o tamanho dos seus sinais de dois em dois meses. Esteja também atento a sinais que se alteram ou que surgiram recentemente. Uma ferida que não cicatriza deve ser avaliada.

Dicas:

⇢ Consulte um dermatologista perante um sinal que se modificou.

⇢ Consuma fruta, vegetais e legumes, que contribuem para o equilíbrio da pele.

⇢ A ingestão de líquidos é essencial, a temperatura e atividade física acrescida fazem transpirar mais, logo aumentam a necessidade de hidratação.

⇢ Vacinas contra o câncer de células escamosas estão sendo desenvolvida na Austrália e já teve sucesso em testes com animais. Também estão desenvolvendo uma vacina contra o melanoma. 


Fontes: Revista PH, Portal da Sociedade Brasileira de Dermatologia


Até a próxima


domingo, 27 de dezembro de 2015

Exposição solar exagerada e cigarro entre os maiores causadores de câncer


Um estudo da Universidade de Stony Brook, em Nova Iorque, publicado na revista Nature confirma que a maior parte dos casos de câncer origina-se de fatores que podem ser evitados.

www.emagrecerumdesafio.com
Imagem: Pixabay

Os responsáveis pelo trabalho concluíram que nove em cada dez doenças oncológicas são causadas por fatores externos e ambientais, entre eles tabagismo, álcool, poluição e exposição ao sol.

Segundo o principal autor do estudo Yusuf Hannun, os fatores ambientais surgem entre as principais causas de câncer, ao lado de fatores de risco já admitidos como altamente prejudiciais, como o cigarro ou a exposição solar excessiva.

Foram observados casos de pessoas que mudaram de regiões de baixo risco em relação ao desenvolvimento da doença para regiões onde é recorrente o surgimento de casos de câncer e concluíram que estes indivíduos se tornam mais vulneráveis à doenças oncológicas.

Os investigadores salientaram que 75% do risco de desenvolvimento de câncer colorretal está intrinsecamente ligado aos hábitos alimentares.

75% das hipóteses de desenvolver câncer de cabeça e pescoço surgem por via do consumo exagero de álcool e uso de tabaco, tal como a exposição excessiva ao sol aumenta o risco de ter câncer de pele em 86%.

O câncer possui a reputação de ser uma doença mortífera. Enquanto isso é verdade para alguns tipos particulares de câncer, as verdades por trás das conotações históricas do câncer estão cada vez mais sendo superadas pelos avanços no cuidado médico.

Até a próxima


quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Tomar uma aspirina por dia é benéfico?



Tomar uma aspirina por dia é um compromisso de, pelo menos, dez anos: só assim se obtém os benefícios de prevenção do risco cardiovascular.

FOTO: www.zamtvnews.it

Se tem mais de 50 anos há boas notícias para si: novos estudos vieram demonstrar que tomar uma aspirina por dia pode ajudar a diminuir o risco de doenças cardiovasculares e até de câncer.

É talvez o comprimido mais de todos: de tal forma que é a marca, e não o princípio ativo (isto é, a substância que o compõe), que o identifica. Assim, "responde" pelo nome próprio de aspirina, mas pertence a uma família de medicamentos mais alargada - a do ácido acetilsalicílico.

Medicamento centenário, dirige-se sobretudo ao alívio da dor e da inflamação, com efeitos terapêuticos comprovados neste âmbito.

Amiga do coração e do cérebro

Há muito que a investigação científica procura novos desenvolvimentos na utilização da aspirina, nomeadamente no âmbito das doenças cardiovasculares, a principal causa de morte no chamado mundo ocidental, Assim, a aspirina revelou-se eficaz na prevenção dos chamados ataques cardíacos secundários, isto é, os que se seguem à ocorrência de um primeiro episódio. E também na prevenção de acidentes vasculares cerebrais (AVC), uma vez que ajuda a tornar o sangue mais fluido, evitando assim que se formem os chamados trombos.

Os mais recentes estudos vieram conformar que este foi um passo na boa direção: o serviço de prevenção para a saúde dos Estados Unidos (USPTF) identificou benefícios na toma da aspirina em pessoas com mais de 50 anos e risco cardiovascular, mas também na prevenção do câncer colo-retal.

Uma aspirina por dia?

O que os cientistas concluíram foi que doentes com mais de 50 anos e um risco de 10% de doença cardiovascular a dez anos beneficiavam de toma de uma dose baixa de aspirina. Mas, entre os 50 e os 59 anos, um comprimido por dia pode diminuir as probabilidades de doença cardiovascular, se tomado de forma consistente ao longo de dez anos.

Os benefícios estendem-se ao câncer colo-retal, com os mesmos estudos a apontarem para uma redação do risco na ordem dos 40% e uma redução da mortalidade de 33%. Isto sempre no horizonte de dez anos. 

Acima dos 60 anos, existe menor confiança nos efeitos positivos da aspirina e acima dos 70 anos o estudo não permitiu tirar conclusões. O mesmo se verificou relativamente a pessoas com menos de 50 anos.

Quem não deve tomar

Mas será que todas as pessoas entre os 50 e os 59 anos beneficiam desta dose preventiva de aspirina? Na verdade, nem todas. 

Não devem tomar:

  Pessoas alérgicas à aspirina;
 Doentes que já tomem coagulantes na sequência de um AVC: é que aumenta o risco de hemorragia;
 Pessoas que sofrem de úlceras gástricas e com risco de hemorragias gastrointestinais.
 Esta é uma decisão individual, mas também uma decisão que deve ser tomada com conselho médico, após ponderação da relação risco-benefício.

 Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos.

 A toma simultânea de aspirina com outros anti-inflamatórios não esteroides deve ser evitada.

Fonte: Revista PH, texto Maria Rita Silva



Até a próxima


quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Cientistas podem ter acidentalmente dado um enorme passo na busca da cura para o câncer



Pesquisadores dinamarqueses foram à procura de uma forma de proteger as mulheres grávidas contra a malária, o que pode causar enormes problemas porque ataca a placenta. Mas eles descobriram ao mesmo tempo que as proteínas malária podem atacar o câncer, também - uma abordagem que poderá ser um grande passo no sentido de curar a doença.

Getty Images

Há algum tempo eram buscadas semelhanças entre tumores e a placenta, dado seu padrão de crescimento, mas só agora foi possível encontrar uma: a proteína da malária conecta-se ao mesmo carboidrato em ambos os tecidos.
A equipe por trás das novas descobertas detalharam como ele tem a mesma função em tumores - e o parasita da malária se liga às células cancerosas da mesma forma, o que significa que ele pode matá-los.

O processo já foi testado em camundongos com câncer, com os achados descritos em um novo artigo para o periódico Cancer Cell. Os cientistas esperam que eles possam começar a testar a descoberta em humanos nos próximos quatro anos.

As maiores dúvidas são se ele vai trabalhar no corpo humano, e se o corpo humano pode tolerar as doses necessárias sem desenvolver efeitos colaterais ", disse Salanti. "Mas nós estamos otimistas porque a proteína aparece apenas junto a um hidrato de carbono que só é encontrada na placenta e em tumores de câncer em seres humanos."

Nos testes em ratos, os animais foram implantados com três tipos diferentes de cânceres humanos. Ela reduziu tumores de linfoma não-Hodgkin para cerca de um quarto do seu tamanho, e livrou de câncer da próstata inteiramente em dois dos seis ratos.

"Nós separamos a proteína malária, que se liga ao hidrato de carbono e, em seguida, acrescentamos uma toxina", disse Mads Daugaard, um pesquisador de câncer da University of British Columbia, do Canadá e um dos cientistas que trabalharam na pesquisa. "Ao realizar testes em ratos, temos sido capazes de mostrar que a combinação de proteínas e toxinas matam as células cancerosas."

Fonte: independent.co.uk

Até a próxima


domingo, 13 de setembro de 2015

Estudos indicam que alecrim nos ajuda a ficar mais inteligentes



Um novo estudo sugere que basta cheirar o alecrim para aumentar o desempenho cognitivo.
www.emagrecerumdesafio.com
Imagens Pixabay


A revista Therapeutic Advances in Psychopharmacology, publicou um estudo feito por uma equipe de cientistas britânicos e, pela primeira vez demonstrou que os níveis sanguíneos de uma substância correlacionada com o desempenho cognitivo (1,8-cineol) aumentaram após os participantes do estudo terem cheirado a planta.

O estudo teve como base os níveis sanguíneos de 20 voluntários que foram expostos a diferentes níveis de alecrim. Após serem expostos ao odor da planta foram feitos testes ao humor e desempenho cognitivo. Também foram recolhidos amostras de sangue para medir a quantidade d e1,8-cineol que cada um tinha absorvido no sangue.

Através das amostras foi possível concluir que havia aumento significativo da substância no sangue.

Entretanto os cientistas advertem para o fato de que embora o alecrim possa ajudar a estimular o poder cognitivo do cérebro, em doses excessivas pode ter efeitos contrários.

1,8-cineol também é encontrada no louro, losna, sálvia e eucalipto.

Outros estudos sobre o alecrim (Rosemary).


 Proteção neurológica - os cientistas descobriram que o alecrim também é bom para o cérebro. O alecrim contém um ingrediente, o ácido carnósico, que é capaz de lutar contra os danos dos radicais livres no cérebro.

 De acordo com um estudo publicado no Jornal celular, ácido carnósico "pode ​​ser útil na proteção contra beta neurodegeneração induzida por amilóide no hipocampo." 

 Prevenir o envelhecimento do cérebro - Pesquisadores da Universidade de Kyoto no Japão revelou que o alecrim pode ajudar significativamente a prevenir o envelhecimento cerebral.

 Câncer - Uma pesquisa publicada em Oncolocy Reports descobriu que "extrato de alecrim bruto etanólico (RO) tem efeitos anti-proliferativa diferenciais sobre leucemia humana e células de carcinoma da mama."

 Outro estudo, publicado em Bioscience, Biotechnology and Biochemistry, concluiu que alecrim podem ser um agente anti-inflamatório e anti-tumoral eficaz de ervas.

 Além disso, um relatório publicado no Journal of Food Science revelou que a adição de extrato de alecrim para carne moída reduz a formação de agentes causadores de câncer que podem se desenvolver durante o cozimento.

 Proteção contra a degeneração macular - um estudo publicado na revista Investigative Ophthalmology & Visual Science, liderada por Stuart A. Lipton, MD, Ph.D. e colegas da Sanford-Burnham Medical Research Institute, revelou que um dos principais componentes de alecrim, o ácido carnósico, pode significativamente promover a saúde dos olhos.

Precauções e efeitos colaterais

Alecrim é geralmente seguro quando tomado em doses baixas. No entanto, grandes doses pode provocar os seguintes efeitos secundários (embora raro):

 Vômitos
 Espasmos
 Coma
 Edema pulmonar (líquido nos pulmões).

➛ Altas doses de alecrim pode causar aborto espontâneo. Portanto não é aconselhável para mulheres grávidas.


Até a próxima


domingo, 31 de maio de 2015

Fumar origina 80 por cento dos tumores do pulmão e laringe


O Dia Mundial sem Tabaco assinala-se a anualmente a 31 de maio, promovido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) visa alertar para os riscos de saúde aos associados ao uso do tabaco e defender a adoção de políticas eficazes para reduzir o seu consumo.
Imagem Pixabay

O tema de 2015 é "Parar o comércio ilícito dos produtos do tabaco". Um em cada 10 cigarros, e outros produtos do tabaco, consumidos no mundo são ilegais, com particular impacto na saúde, na economia, na justiça e no crime de corrupção.

Fumar origina 80% dos tumores do pulmão e laringe, e entre 20 a 50% dos restantes tumores respiratórios, digestivos e do trato urinário, confirmou o estudo publicado na revista Journal of clinical Oncology, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.

É responsável direto por dois em cada dez tumores, mostra uma investigação do Instituto Catalão de Oncologia - Hospital Duran i Reynals, que seguiu cerca de 440 mil pessoas durante uma média de 11 anos. Das 441.211 pessoas seguidas, 14.563 desenvolveram um tumor relacionado com o hábito de fumar.

A investigação determina, pela primeira vez, qual percentagem daqueles tumores é responsabilidade direta do tabaco, causa também de 25% por cento dos cânceres de fígado, 14% dos do ovário e 6% dos do rim.

Os cientistas compararam o número de casos de tumores entre os participantes fumantes ou ex-fumantes e os que nunca fumaram.

A investigação mostrou que 36% dos tumores relacionados com a utilziação de tabaco são diretamente provocados pelo seus consumo, o que representa 20% do total de tumores, indicou a agência EFE.

Referências: IOL.Pt, http://www.portaldasaude.pt/


Até a próxima

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Câncer: 15 sinais que homens não devem ignorar



www.emagrecerumdesafio.comOs homens não apreciam muito ir ao médico, embora seja tentador ignorar preocupantes problemas de saúde, os 15 sintomas que enumeramos devem ser verificados imediatamente. O câncer, quanto mais cedo detectado, mais opções de tratamento terá assim como as oportunidades de recuperação.

Nódulo na mama

O câncer da mama não afeta apenas as mulheres. Embora não seja comum nos homens, pode acontecer. Se notar um caroço na zona do peito, faça de imediato uma consulta médica. Sinais a serem observados incluem enrugamento da pele, retração do mamilo, vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele e secreção mamilar.

Alteração nos testículos

O câncer de testículo é mais comum em homens com idade entre os 20 a 39. Examine regularmente os seus testículos e esteja atento a mudanças. Se detectar inchaço, um nódulo, ou uma sensação de peso no escroto, consulte o seu médico imediatamente. Alguns tipos de câncer de testículo podem desenvolver-se muito rapidamente.

Inchaço dos gânglios linfáticos

Se notar um caroço ou inchaço que parece estar ficando cada vez maior nos gânglios linfáticos sob a axila, virilha ou no pescoço - ou em qualquer outra área do seu corpo - é hora de consultar o seu médico. Inchaço dos linfonodos é geralmente o resultado de algo diferente de câncer, mas também pode ser sintoma de linfoma ou leucemia.

Febre inexplicável

Normalmente, a febre é sinal de infecção, mas também pode indicar câncer. Câncer do sangue, tais como leucemia ou linfoma, estão associados a febre, embora muitos outros tipos de câncer possam, naturalmente, causar febre, especialmente quando este se alastra a outras partes do corpo.

Perda de peso repentina

Se perdeu peso sem ter alterado os seus hábitos alimentares ou rotina diária, pode ser motivo de preocupação. Perder mais de 10% do seu peso corporal dentro de três a seis meses requer uma ida ao médico e acompanhamento.

Dor abdominal e depressão

A comunidade científica defende que há uma ligação entre depressão e o câncer no pâncreas. Se sentir uma forte dor no estômago e tem-se sentido deprimido, marque uma consulta. O câncer no pâncreas também pode causar icterícia, fezes e urina escuras e coceira em todo o corpo.

Fadiga

A fadiga pode ser causada por uma ampla variedade de doenças, incluindo o estresse, bem como os fatores de estilo de vida. E pode, igualmente, ser indicador de câncer. De acordo com a American Cancer Society, a fadiga pode ser um sinal precoce de leucemia, câncer do cólon e câncer no estômago.

Tosse persistente

A tosse persistente se dura três semanas ou mais, não deve ser ignorada - especialmente se é fumador. A tosse intensa ou prolongada pode ser sinal de bronquite crónica ou de cancro no pulmão. 

Dificuldades a engolir

Dificuldade em engolir pode ser um sinal de câncer na garganta e esôfago. Se tosse ou se engasga a tentar engolir, ou tem dor a ingerir os alimentos, faça exames.

Mudanças num sinal

Uma mudança no tamanho, forma e cor de um sinal ou o aparecimento de um outro; alterações na pigmentação da pele (tais como escamação excessiva ou sangramento) pode ser sinal de câncer da pele. De acordo com Cancer Research UK, os homens são mais afetados no tronco - 38% de manchas cancerígenas aparecem aqui, seguido do rosto (22%), braços (17%) e pernas (15%).

Sangue na urina ou fezes

Se tiver demasiada facilidade em sangrar, consulte o seu médico imediatamente. Tossir ou cuspir sangue ou sangue nas fezes ou urina nunca devem ser ignorados. Uma das possibilidades é ser câncer do cólon.

Alterações na boca

O aparecimento de manchas brancas na boca ou língua são sinais de leucoplasia que pode evoluir para câncer oral. Consulte o seu médico, especialmente se fuma ou masca tabaco.

Alterações na urina

Ao envelhecer, os homens precisam urinar com mais frequência, especialmente à noite. Se os sintomas se agravarem, consulte o seu médico.
Este é um dos sintomas do câncer da próstata.

Problemas de indigestão

Problemas com indigestão não tem apenas ligação a ataques cardíacos. Também pode ser sinal de cancro da garganta, esôfago ou estômago. Se os sintomas persistirem, consulte o seu médico.

Dor persistente

A maioria das dores não são causa do câncer, mas a dor persistente pode ser um sintoma precoce de alguns tipos de câncer por isso é aconselhável fazer exames.

Fonte MSN

                           Até a próxima

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Mitos mais comuns sobre o câncer


Desde pintar o cabelo a usar desodorante, segundo estudos.



www.emagrecerumdesafio.comFicamos com a impressão que qualquer coisa que façamos ou comamos pode causar câncer - ou, por outro lado, curá-lo. As opiniões dos especialistas dividem-se e pode ser difícil discernir o que é fato do que é especulação. Desmistificamos alguns mitos mais frequentes quando se trata de falar da doença que causa muita preocupação na atualidade, apesar de alguns avanços em relação à prevenção.

Tomar uma aspirina por dia durante 5 anos

Um estudo realizado pela Universidade de Oxford, em 2012, descobriu que as pessoas que tomaram uma aspirina por dia durante cinco anos viram em 37% a redução do risco de câncer em comparação com pessoas que não tomavam aspirina.
Outros estudos têm mostrado resultados semelhantes, no entanto, de acordo com o Instituto de Câncer da Universidade de Oxford, é muito cedo para recomendar uma aspirina por dia.

Desodorante spray

Uma das reivindicações mais frequentes é que os desodorizantes em spray podem causar câncer especialmente da mama. Um estudo realizado em 2002 pelo Fred Hutchinson Cancer Research Center em Seattle revelou não haver relação entre o uso desses produtos e o câncer.

Os churrascos

Enquanto a carne carbonizada contém substâncias que podem causar mutação em roedores, os níveis necessários para causar câncer em humanos exigiria o consumo de alta quantidade de grelhados - que ninguém come normalmente. Para reduzir o risco, o Instituto Nacional do Câncer em Inglaterra, aconselha que não deixe queimar os alimentos, ou se deixar passar demasiado, corte os pedaços chamuscados.

Pintar o cabelo

De acordo com um estudo publicado no Journal of the American Medical Association em 25 de maio de 2014 não há relação direta entre a aparecimento da doença e fazer a coloração.

Beber muito vinho

Beber muito vinho previne o aparecimento do câncer? Pense novamente. O álcool é consistentemente considerado como possível causa de câncer, por isso, o melhor é desfrutar de forma moderada desta bebida que tem muitos benefícios para a saúde se bebida sem excessos.

E os telefones móveis?

Fique descansado, o seu telemóvel não contribui para o câncer cerebral. Médicos da Danish Cancer Society monitorizaram 420.000 usuários de telefones móveis na Dinamarca entre 1982-1995 e não encontraram nenhuma ligação ao câncer. Houve vários estudos de acompanhamento desde então, e nenhum deles encontrou qualquer evidência de correlação entre o uso de telefones móveis e a doença.

Tirar o açúcar da sua dieta

O único problema com o açúcar é que ele leva ao aumento de peso se ingerido em excesso, que por sua vez coloca aumenta o risco de certos tipos de câncer, mas o açúcar em si não afeta é causa-efeito da doença.

Adeus soja

Não pode viver sem o seu leite de soja ou o tofu refogado? Não há necessidade de cortar com eles. Embora a soja contenha produtos químicos semelhantes ao estrogênio, um hormônio que pode promover tumores em células da mama, os médicos defendem que os estudos atuais não encontram efeitos nocivos no consumo de soja para sobreviventes de câncer.

Comer mirtilos todos os dias

Se gosta de mirtilos, coma-os mas mantenha as suas expectativas realistas. Alguns alimentos como os mirtilos, o chá verde, o alho, etc. são ótimos para sua saúde, mas não combatem o câncer, segundo um estudo financiado pelo Cancer Research UK.

Tomar vitaminas

Esqueceu-se das vitaminas hoje? Não se preocupe. Não foi detetado nenhum efeito das vitaminas sobre a doença cardiovascular ou câncer. Se são benéficas, o efeito é muito pequeno para detectar, de acordo com a revista Annals of Internal Medicine Journal de 2013.

Fonte: MSN

                                         Até a próxima