Mostrando postagens com marcador Dietas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dietas. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

5 deficiências nutricionais que causam estresse


É importante cuidar da alimentação para evitar doenças, pois ela é a responsável pela energia que usamos para fazer tudo e por nossa saúde. Má nutrição não é problema somente de pessoas que pertencem às esferas sociais desfavorecidas. Países ricos e indivíduos pertencentes às classes mais altas também apresentam questões de saúde direta ou indiretamente relacionadas a uma alimentação escassa, como: doenças crônicas não transmissíveis - obesidade, hipertensão arterial, câncer e diabetes -, entre outras.
www.emagrecerumdesafio.com
© Thinstock

Ômega-3

A comida também tem um impacto no nosso humor. Este é o caso dos ácidos graxos Omega-3 que ajudam a manter as células cerebrais saudáveis. A falta dessas gorduras, que não são produzidas pelo nosso corpo, pode levar a distúrbios do humor. Os alimentos mais ricos em omega-3 são peixes azuis, mas também nozes, gemas e óleo de linhaça.

Zinco

O zinco é um nutriente essencial não só para a saúde do corpo, mas também para a mente. É importante, de fato, para a produção e função de neurotransmissores. Os alimentos mais ricos são gérmen de trigo torrados, sementes de abóbora, espinafre, carne bovina e chocolate preto.

Vitaminas do Grupo B

Uma deficiência de vitamina B no grupo B (em particular B6 e B12) pode causar depressão. As melhores fontes de comida são vegetais de folhas verdes, bananas, frutos do mar e carnes vermelhas.

Aminoácidos

Os aminoácidos ajudam a equilibrar os neurotransmissores no cérebro e reduzem o estresse, o medo e a ansiedade. Boas fontes de aminoácidos são produtos lácteos, ovos, carne magra e proteínas vegetais.

Vitamina D

A deficiência de vitamina D tem sido associada a depressão e ansiedade várias vezes. Os alimentos mais ricos desta substância são gema de ovo, manteiga, peixe azul e fígado.

Fonte: MSN

Até a próxima


domingo, 12 de novembro de 2017

Por que os franceses não engordam?


Estatísticas da Organização Mundial de Saúde mostram que existem metade das pessoas com excesso de peso nos Estados Unidos, na França têm uma expectativa de vida maior, menor risco de doenças cardiovasculares e tomar menos medicação. E isso apesar do fato de que os franceses estarem consumindo mais queijo e manteiga do que alguns países desenvolvidos. Mas por que eles são magros e não engordam?
www.emagrecerumdesafio.com
Imagem: Pixabay
É a questão de um milhão de dólares. Navarro Clínica também foi convidado e depois de analisar vários estudos de especialistas do setor nos últimos anos, tiraram suas próprias conclusões, entre as quais predomina a forma como a comida é valorizada.

Para os especialistas da Navarro Clínica, existem culturas nas quais a comida é estressante e, em outros, é um assunto agradável. Essas diferenças podem afetar a saúde através da incidência de doenças cardiovasculares, de acordo com os resultados da pesquisa do professor Paul Rozin.

"A maneira como comemos pode afetar nossa saúde e longevidade", diz Luis Navarro, diretor da Navarro Clínica.

O que acontece então com os franceses? Bem, eles prestam mais atenção às sensações internas, como a saciedade e dão menos importância aos aspectos externos, como a quantidade de alimentos no prato. Na verdade, este aspecto é destacado no famoso livro de Caroline de Maigret e companhia: "Como ser parisiense onde quer que você esteja", no qual eles mencionam que a quantidade de comida no prato em jantares com amigos "deve ser generoso ", "deveria ser generoso "enquanto" tudo deve parecer fácil ". Eles não comem pouco, eles se alimentam bem. 

Outra dica: faça com que pareça fácil. Na verdade, pesquisas como as de Brian Wansink, professora da Universidade Cornell, lembrar-se de como as mulheres francesas têm um relacionamento com alimentos que não estão disponíveis em outros países. Isso os faz apreciar e aproveitar seu tempo e parar quando sentem saciedade, uma nuance que poderia explicar que "porque as francesas não engordam", em relação às mulheres de outros países.

Claro, nem sempre é assim. Salmão defumado. Não. Má escolha. Você comerá todos os blinis e o creme que os acompanha; O salmão é apenas um pretexto. Sua gula poderia acabar ampliando seus quadris, é melhor você observá-lo um pouco e resistir à tentação.

Será que elas desfrutam de verdade os alimentos ou é puro teatro?


Você deve pensar que sua silhueta é um simples presente da natureza. Vai valer mais, portanto,  um prato de verdade, oferecer a imagem tópica que gosta de boa comida, sugerindo que o mesmo aconteça com todos os prazeres da vida.

Cada cena de relacionamento entre a França e a comida demonstra como os pensamentos, a atitude e a forma como é comida influenciam a assimilação de nutrientes, peso e saúde. Luis Navarro comenta que "se você viver em uma mentalidade de dieta, comer é uma luta, um esforço e um sacrifício que requer vontade e disciplina para não engordar, tem medo de engordar e você vê a comida como algo perigoso e que você deve controlar".

Saber escolher e preparar os alimentos é muito importante, bem como a atividade física. Andar de bicicleta, ir ao supermercado caminhando, usar menos os elevadores, são hábitos que contribuem para manter-se em forma.

Fonte: MSN/Saúde

Até a próxima

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Hirsutismo e síndrome dos ovários policísticos



O hirsutismo é o crescimento de pilosidade excessiva em zonas onde as mulheres habitualmente não a têm, já que o pêlo nestas zonas depende dos andrógenos (hormônios masculinos). São o lábio superior, a zona das patilhas (costeletas), o queixo, o pescoço, as aréolas mamárias, o tórax, a área em volta do umbigo, as virilhas, as coxas ou as costas.
www.emagrecerumdesafio.com
© starmedia

O hirsutismo não deve ser confundido com a hipertricose, que é o aumento simples de pilosidade em zonas não andrógenas, como os braços ou as pernas.

O crescimento de pilosidade excessiva nas mulheres ocorre geralmente devido à presença de excesso de hormônios masculinos. Nesta situação, denominada hiperandrogenismo, o pêlo, fino e pouco pigmentado, torna-se grosso e escuro e, frequentemente, é associado à acne.

Uma causa comum do hirsutismo é a síndrome do ovário policístico; noutros casos, pode haver um componente hereditário. No entanto, noutros casos, a causa específica nunca chega a ser identificada.

Se o hirsutismo se desenvolver subitamente ou em excesso e vier acompanhado de outras caraterísticas típicas de masculinidade, como o engrossar da voz ou o aumento da massa muscular (no seu nível máximo, chama-se virilização), a sua causa pode ser um transtorno mais importante, pelo que se faz necessário consultar o médico de família ou o ginecologista.

É possível melhorar o hirsutismo ligeiro com simples alterações do estilo de vida. Uma alimentação saudável, a prática de exercício físico diário e a perda de peso de forma controlada (nas mulheres com excesso de peso) podem melhorar o hirsutismo. Nos casos mais agudos, é aconselhável recorrer a tratamentos com medicação, sempre sob vigilância médica, que podem ser complementados com tratamentos cosméticos.

A síndrome dos ovários policísticos

Ovários policísticos e síndrome dos ovários poliquísticos não são a mesma coisa. Os ovários poliquísticos são um diagnóstico ecográfico que pode, ou não, ser acompanhado de sintomas, enquanto que a síndrome dos ovários policísticos (SOP) é um desequilíbrio hormonal (ligeiro ou grave) que pode causar períodos menstruais irregulares, hirsutismo e acne. É uma afecção comum, cuja causa exata se desconhece e que, em muitos casos, começa na puberdade.

As adolescentes com SOP podem ter inúmeros sintomas, entre os quais destacam-se:
 ■Os períodos irregulares com pausas de alguns meses ou, pelo contrário, períodos muito frequentes
 ■ O hirsutismo
 ■ A acne
 ■ O aumento de peso e/ou a dificuldade em perdê-lo.

Pelo fato de se ter ovários policísticos não quer dizer que se tenha cistos nos ovários. Muitas vezes, este diagnóstico ecográfico provoca confusões mas refere-se apenas ao grande número de folículos de pequenas dimensões (inferiores a 10 mm) que existem nos ovários em estado de repouso, que é muito superior ao que encontramos nos ovários normais. Além disso, muitas adolescentes têm ovários policísticos mas não a síndrome, pelo que, em muitos casos, se trata de uma descoberta casual, que não tem grande importância.

Em princípio, o tratamento da síndrome dos ovários policísticos é farmacológico e dietético sempre sob o controle de um ginecologista.

Referências: Fundação Dexeus Saúde da Mulher, CUF

Até a próxima

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Frutas com poucas calorias para comer sem culpa


Apesar da liberação da ingestão de frutas, algumas são muito calóricas e devem ser consumidas com cautela, confira as menos calóricas.

 title=
Foto:Pixabay

Limão

12 calorias/unidade
É diurético, rico em vitamina C e antioxidante.


Melancia

24 calorias/100g
A melancia é diurética e um ótimo aliado de quem está com inchaço.

Mamão

36 calorias/100g
Diurético e rico em fibras.

Caju

37 calorias/100g
É suculento e rico em vitamina C e ferro.

Morango

43 calorias/100g
É rico em ferro e em vitamina C, sendo um bom anti-inflamatório natural.

Goiaba vermelha

43 calorias/100g
São muito ricas em vitamina C, não tem muito açúcar e possui quase nenhuma gordura.


Laranja

46 calorias/100g
Duas laranjas por dia fornecem a quantidade de vitamina C de que o organismo precisa.

Tangerina

50 calorias/100g
Contém vitamina C, que é poderosa para ajudar na absorção do ferro no intestino e fortalecer o sistema imunológico.

Abacaxi

50 calorias/80g
O abacaxi combate a retenção de líquidos

Banana prata

55 calorias/unidade
Ela contém triptofano, o que diminui o desejo por comer doce e ainda sacia a fome.

Maçã vermelha


85 calorias/unidade
É rica em antioxidantes, regula os níveis de colesterol e de triglicerídeos e auxilia na digestão.

Pera

68 calorias/unidade
Tem muita fibra, que ajudam a melhorar o trânsito intestinal e saciar a fome.


Fonte: MSN/Saúde

Até a próxima


domingo, 18 de dezembro de 2016

Conheça os benefícios da pele da batata



Uma pesquisa feita nos Estados Unidos demonstrou que as pessoas podem incluir a batata na dieta e ainda perder peso, apesar do alto teor de carboidratos do tubérculo. Segundo os pesquisadores, o resultado dessa pesquisa evidencia o que profissionais de saúde e nutricionistas dizem há anos: quando se trata de perder peso, não é somente eliminar alguns alimentos ou grupos alimentares do consumo diário, mas na verdade, é reduzir a quantidade total de calorias ingeridas.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto: Pixabay


Atualmente, a batata é o quarto alimento mais consumido do planeta, com milhares de variedades de diferentes cores, sabores e tamanhos que são utilizadas em receitas no mundo todo.

Melhora a digestão

Em muitas receitas a pele de batatas é removida ... nós dizemos por que esta prática deve mudar.
As batatas são boas fontes de fibra dietética, mas a pele é muito mais. Em uma batata inteira você encontra 4 gramas de fibra.

Eles são mais nutritivos

Sim, batatas são mais nutritivas. A pele é particularmente rica em ferro e potássio: uma batata completa de tamanho médio tem cerca de 70% mais ferro e 35% mais potássio que uma batata descascada.

Eles não têm muitas calorias

Comer a batata com pele, em vez de calorias, traz muitos benefícios: mais proteína e muitos mais vitaminas e minerais do que o restante da batata.

Reduz o risco de ataque cardíaco

O potássio é um mineral essencial, o que ajuda a reduzir o risco de problemas cardíacos. Isto, porque ajuda a baixar a pressão arterial e manter a saúde cardiovascular.
Outro componente que está na pele de batatas e isso é ótimo para o coração, é o ômega3.

Você economiza tempo

É verdade que, além do que você pode fazer para sua saúde, deixar as batatas com casca vai economizar valiosos minutos depois de cozinhar (e aborrecimento para estar lá mil anos com o descascador).

Melhora a taxa de açúcar no sangue

A batata é rica em carboidratos complexos, isso significa que quando você come, o corpo rapidamente converte em açúcares, que vão diretamente ao sangue. Comer a pele torna este efeito menos rápido, e dará energia.

Melhor textura

Quando você faz um prato de cozimento de comprimento (um guisado ou sopa, por exemplo), coloque as batatas em pedaços sem pele rapidamente ficam moles, absorvem a água e até mesmo "derretem". A pele ajuda a manter essa textura suave, mas firme, como todos nós queremos encontrar em nosso prato.

Eles ajudam na perda de peso

Inacreditável! Certo?
Embora a batata seja um daqueles alimentos que não são exatamente os nossos aliados quando pretendemos perder alguns quilos, a pele é baixa em calorias, muito nutritivas e ricas em fibras.
Se decidir comer batatas, com o fim de perder peso, que seja batata com pele.

Reduz os níveis de colesterol

O seu elevado teor de fibras, os antioxidantes e polifenóis, têm um efeito significativo para reduzir os níveis de glicose no sangue. Então, se você está tendo problemas com açúcares ou quer impedi-los, não se esqueça de incluir as batatas com pele em sua dieta.

Te proteges de enfermidades

A pele de batatas contém grande quantidade de vitamina C e funciona como um potente antioxidante. Também contém vitaminas do complexo B, que são essenciais para o sistema imunológico.

Mas ...

No entanto, os legumes são descascados porque a maioria são tratados com muito pesticidas o que é prejudicial à saúde. Se você decidir comer a pele das batatas, verifique se elas são cuidadosamente limpas, de preferência, que não tenham recebido tratamento com pesticidas durante o cultivo.


Fonte MSN
Até a próxima


segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Castanha, oleaginosa com muitos benefícios


Tal como a amêndoa, a noz ou a avelã, a castanha é um oleaginoso que se destaca por ser amiláceo, ou seja, muito rica em glícidos e fonte de energia e fibras alimentares. Protegida por um ouriço (um fruto capsular), a castanha é na verdade a semente do castanheiro.
www.emagrecerumdesafio.com


A Castanea Sativa, ou castanheiro, foi introduzido na Europa há três mil anos.

Características e benefícios

O valor nutricional da castanha é reconhecido desde sempre – rica em fibra, vitaminas do complexo B e antioxidantes. O seu elevado teor de amido distingue-a dos outros frutos e aproxima-a dos cereais e da batata. De consumo versátil, come-se sozinha ou como parte integrante de pratos, sobremesas, licores e aperitivos.

Sabor com história

A castanha é um dos alimentos mais antigos de Portugal. Muito antes de haver batatas ou pão, as castanhas faziam parte da alimentação diária dos portugueses. À época dos Descobrimentos, as castanhas eram secas e desidratadas para depois serem consumidas nas caravelas.

Curiosidade

5 castanhas equivalem a:

1 pão de mistura (50g)

1 fatia fina de broa (70g)

4 colheres de sopa de arroz ou massa cozidos

4-5 colheres de sopa de flocos de aveia

Pode ser utilizada em sopas, recheios de pratos de carne ou sobremesas. Combinam na perfeição com ervas aromáticas e especiarias como o alecrim, rosmaninho, louro, tomilho, cravinho, erva-doce, canela e pimenta.

Como guardar

As castanhas devem ser guardadas num local fresco e seco e fora de sacos de plástico, pois fechadas ganham bolor com facilidade.


Fonte e crédito da imagem: Pingo Doce


Até a próxima


sábado, 1 de outubro de 2016

As diferenças entre dietas vegan e vegetariana


Ser vegetariano não é o mesmo que ser vegan. Sendo duas dietas parecidas, uma é mais restrita do que a outra, indo a vegan mais longe nos ideais de respeito e defesa dos animais. Para que nunca mais ofereça um omelete a um vegan, ou peixe a um vegetariano, vamos explicar-lhe as diferenças entre as duas.
 title=
Foto: Getty Images

O vegetarianismo e o veganismo são duas opções alimentares de bases parecidas. No entanto, divergem em termos de posicionamento, já que os vegetarianos excluem carne e peixe, mas não produtos de origem animal, uma vez que consomem, por exemplo, ovos, laticínios e mel. Já os vegans excluem tudo o que é de origem animal da sua alimentação e também da roupa, produtos de higiene e detergentes. São ainda contra todo o tipo de exploração animal (touradas, circos com animais, jardins zoológicos, pesca, caça, etc.) e boicota produtos testados em animais. Se optar por um destes estilos de vida, está a contribuir para que haja menos poluição e sejam gastos menos recursos.

A maioria das pessoas decide ser vegetariana para evitar a morte de animais, que consideraram ser desnecessária, mas também há quem opte por este tipo de alimentação devido a problemas de saúde, crenças religiosas ou espirituais, entre outras.

Embora com pontos comuns, uma é muito mais restritiva que a outra. Saiba mais sobre estes dois tipos de dietas e aprenda a distingui-las.

Vegetarianismo

Nesta opção alimentar não entra nenhum tipo de carne ou peixe. Nem sequer atum em lata e bacalhau. No entanto, a dieta vegetariana tem uma grande variedade de alimentos saudáveis e saborosos, sendo que muitos pratos étnicos, principalmente da cozinha indiana, são vegetarianos. O vegetarianismo não faz mal à saúde se a alimentação for administrada com vários alimentos, como frutas, verduras e legumes. Os vegetarianos comem:

• Ovos.
• Lacticínios.
• Outros produtos de origem animal, como o mel.

Existe várias vertentes da dieta vegetariana, entre as quais

• Dieta ovo-vegetariana: inclui ovos.
• Dieta lacto-vegetariana: inclui lacticínios.
• Dieta api-vegetariana: inclui mel.

A dieta vegetariana, desde que bem planejada, é adequada para todas as idades, segundo a Associação Dietética Americana. 

Veganismo

Esta opção não é apenas alimentar. O veganismo é um modo de vida, uma vez que os vegans recusam não apenas a ingestão de alimentos derivados de animais, mas também a utilização de produtos que contenham qualquer parte animal, como roupas ou objetos em pele ou, muitas vezes, até lã.

Assim, os vegans não consomem

• Ovos.
• Lacticínios.
• Mel.
• Gelatina de origem animal.
• Qualquer alimento que contenha ingredientes derivados de animais.


Ao optar por se tornar vegan, há que ter alguns cuidados: tomar alguns suplementos vitamínicos, como vitamina B12, que se encontra na carne e noutros produtos de origem animal e ferro. Apesar do ferro estar disponível também em muitos produtos de origem vegetal, a sua absorção por parte do organismo humano não é tão eficiente quanto o ferro fornecido por produtos de origem animal.

Devem encontrar-se boas fontes de proteína e a substituição da carne e peixe não deve ser feita por alimentos ultra processados. As leguminosas misturada com cereais integrais, podem ser uma opção em termos proteicos, não colmatando as deficiências em vitamina B12 e ferro.

Fontes: Centro Vegetariano, Pingo Doce


Até a próxima


quinta-feira, 15 de setembro de 2016

7 erros a evitar em relação a balança


Diversas dietas tornaram-se populares nas últimas décadas, algumas passageiras, outras polêmicas e outras com maior comprovação científica. Para seguir uma dieta, convém consultar um médico ou nutricionista, a fim de conhecer a dieta adequada ao seu organismo.
www.emagrecerumdesafio.com
Imagem  MSN Fr

De que vale fazer restrições alimentares severas, e erros durante a dieta se, além de não cumprir a longo prazo, pode prejudicar a saúde?

Subir na balança todos os dias

"É totalmente inútil!", Responde a sra Foucault, nutricionista. Por quê? Esta é uma ótima maneira de desmotivá-lo em seu período de emagrecimento. Os resultados serão inconsistentes e você não pode acompanhar a sua curva de peso corretamente.

Pese-se, no mesmo horário

Por quê? E sim de manhã! De manhã, à tarde e à noite você não vai ter exatamente o mesmo peso é a recomendação da nutricionista: Pese-se na parte da manhã quando você estiver em jejum. Este é o único guia confiável.

Mudança de equipamento

Por quê? Eles não são específicos. O risco está em ter maus resultados sobre a evolução da perda ou ganho de peso. É necessário recorrer sistematicamente à mesma escala, uma vez que nem todas elas têm os mesmos modos de funcionamento.

Coloque a balança sobre uma superfície macia

Por quê? Você deve colocar as probabilidades ao seu lado para obter o peso real. 

Estar vestido enquanto se pesa

Por quê? Roupas pesam! Conselho da nutricionista: Se você pesar-se vestida, continue a usar as mesmas roupas para a próxima pesagem.

Não pesar após o esporte

Por quê? Durante um exercício, é importante beber muita água. Portanto, é melhor evitar pesar-se logo após a prática de exercícios ou esporte.

Pesar quando menstrua

Por quê? O corpo feminino fica inchado, há risco de retenção de líquidos que pode alterar o peso.

Fonte : MSN/Saúde

Até a próxima


domingo, 10 de julho de 2016

6 dicas para manter o peso ideal



Manter-se no peso ideal não é uma tarefa fácil de ser realizada. Para auxiliá-lo nessa difícil jornada em busca do corpo perfeito, o site Ponto XP  selecionou algumas dicas de alimentos e técnicas de como manter seu peso ideal. 

www.emagrecerumdesafio.com
Imagem: Pixabay

Antes das dicas, é importante lembrar que manter-se no peso adequado não é apenas uma questão estética, mas sim de saúde. Se tiver peso a mais e emagrecer, beneficiará amplamente a sua saúde e o seu bem-estar. 

Para manter o corpo em forma e o peso ideal

A primeira dica de como manter seu peso ideal é aprenda a comer corretamente. 

Pode até parecer irônico, você passa a sua vida inteira se alimentando de uma maneira e em algum momento um nutricionista diz que você deve passar por uma reeducação alimentar, mudar o que come e o quanto come, para que seu peso não aumente.

Mas realmente trocar alimentos industrializados, com muita gordura ou açúcar, por alimentos naturais e mais saudáveis. 

É dica básica de como manter seu peso ideal. Adote em seu cardápio diário, ao menos, duas porções de frutas ricas de fibra e água, como melão, melancia, ou morango. Também prefira carnes magras - como peixe, que além de ajudar a manter seu peso, controla sua pressão arterial e diminui o colesterol ruim.

Procure fracionar suas refeições, se alimentar de 3 em 3 horas, em pequenas porções.

Essa é uma forma de controlar o apetite. Comer devagar, mastigando bem os alimentos também pode ajudar a como manter seu peso ideal, isso porque o organismo leva de 15 a 20 minutos para avisar ao cérebro que está saciado.

Adotar dietas malucas e que prometem milagres não irá ajudar. 

Afinal, quando informamos inconscientemente ao nosso cérebro que ele não poderá ingerir este ou aquele alimento, a primeira coisa que vem na cabeça é a vontade de ingerir o mesmo. Por isso não adote medidas radicais. Caso sinta necessidade, ingira algum doce ou salgado, mas em uma porção bem pequena.

E não se esqueça!

A melhor forma de manter o peso ideal é praticando exercícios, tais como caminhada, corrida, a prática de algum esporte, andar de bicicleta, dança ou musculação. Enfim, não interessa a modalidade, o importante mesmo é não ficar parado. 

Hidrate seu corpo com muita água e tome um bom café da manhã, antes de iniciar suas atividades diárias.


Fonte: Ponto XP

Até a próxima

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Recomendações para ter êxito em dietas


Existem muitas dietas diferentes em revistas, Internet e jornais, sendo que se estão publicadas, é porque para alguém funcionou. No entanto, nem todas as dietas combinam com todas as pessoas, inclusive, as bastantes restritivas. Essas, aliás, não são indicadas, e no caso de serem feitas, o melhor é que não dure mais de uma semana – a primeira entre as recomendações para ter êxito em dietas.
Foto Pixabay
Cardápios que eliminam grupos alimentares do dia-a-dia podem, inclusive, fazer mal para a saúde e se você pratica atividade física, é melhor não iniciá-las, uma vez que ao fazer exercícios o corpo deve estar bem nutrido. Caso contrário, apenas se perde massa corporal (músculos) e não gordura.

Confira outras recomendações para ter êxito em dietas e perca os quilos que deseja.

1. Reeducação alimentar: é possível como obter êxito com dietas quando escolhemos cardápios equilibrados que podemos seguir por um bom tempo. Assim, não estaremos apenas fazendo uma deita para emagrecer, mas sim, uma reeducação alimentar. Dietas que propõem uma grande variedade de alimentos, na medida certa, são as mais indicadas.

2. Não sinta fome: sentir fome não é uma maneira de como tornar dietas mais eficientes. Se você está acostuma a comer sempre muito e de repente de jogar de cara numa dieta com muito menos calorias se comparado ao que você costuma comer, é bem possível que ela não dure muito. Na hora de reeducar a alimentação, é preciso ir aos poucos, o que também não vai aumentar a sua ansiedade, uma das causas da compulsão alimentar.

3. Seguir a risca: quando escolhemos dietas mais equilibradas fica mais fácil segui-las a risca, sendo que isso é muito importante para que tenhamos os resultados desejados. Determinação e força de vontade também são essenciais, por isso, não adianta emagrecer apenas porque os outros querem.

4. Comer menos com mais frequência: outra forma de como obter êxito com dietas é diariamente realizar de cinco a seis refeições, sendo que três são as principais e as demais são pequenos lanches. No entanto, mesmo no café da manhã, almoço e jantar é preciso servir porções menores do que o de costume. Assim, seu organismo não chega a sentir fome e a ansiedade vai embora.

5. Variações: por fim, como tornar dietas mais eficientes mesmo se você siga uma dieta a risca é importante que encontre opções para substituir os alimentos. Tornando o cardápio mais variado, a dieta não enjoa e mesmo para o organismo faz um bem maior, assim, o metabolismo não baixar demais, o que pode causar uma estagnação na perda de peso.


Fonte: Textual Conteúdo

Até a próxima


terça-feira, 31 de maio de 2016

Formas de tratar a flatulência


Conhecer as formas de tratar a flatulência é fundamental para quem sofre desse mal, que pode prejudicar a saúde do indivíduo, graças ao desconforto que envolver. A flatulência excessiva se caracteriza pela eliminação de gases de maneira frequente e descontrolada. Para ter uma ideia, uma pessoa em condições normais emite 700 ml de gases por dia.
www.emagrecerumdesafio.com
Ponto XP
Quando o valor é ultrapassado, iniciam-se, portanto, os desconfortos e possíveis constrangimentos. Já as causas da flatulência são diversas, podendo estar relacionadas à ansiedade, maus hábitos alimentares e sedentarismo. Outras causas da flatulência são os problemas gastrointestinais e as intolerâncias alimentares.

Já os sintomas, além da emissão de gases de forma excessiva em si, podem ser as cólicas abdominais, abdômen rígido e/ou dilatado, prisão de ventre e diarreia.

Principais formas de tratar a flatulência

Embora não esteja associada a problemas graves, como evitar flatulência vai evitar as dores, desconfortos e demais sintomas, além de ajudar a ter uma vida mais saudável, uma vez que os tratamentos estão ligados a bons hábitos. Portanto, para saber como evitar flatulência, confira as dicas a seguir:

➟   Evite a ingestão de ar enquanto estiver comendo, isso é possível através de uma alimentação sem conversas

➟   Não beba líquidos durante as refeições

➟   Não masque chicletes

➟   Diminua a ingestão de bebidas com gás

➟   Chá de hortelã antes das refeições ajuda na digestão e evita flatulência

➟  Como os gases se formam devido à fermentação das bactérias e à alimentação, evitar os alimentos que causam a flatulência é essencial. Assim, diminua a ingestão de brócolis, couve-flor, repolho, nabo, cebola crua, rabanete, pepino, batata doce, pimentão verde, melancia, abacate, clara de ovo, grão de bico, lentilhas, ervilhas secas, feijão e mariscos e ostras.

➟   Diminua a ingestão de carnes e alimentos que são fonte de proteína, como ovos, tofu ou os suplementos proteicos.

➟  Quando a pessoa sofre de prisão de ventre, deve tratá-la, assim, a flatulência diminui, já que o intestino preso aumenta a fermentação.

➟  Como o problema está associado à má digestão, é preciso mastigar bem os alimentos antes de engoli-los.

➟  Dietas restritivas, consumo excessivo de açúcar e, em alguns casos, produtos com glúten ou leite, devem ser evitados.

➟  Incluir ao cardápio alimentos ricos em fibras, como cereais integrais, frutas, legumes e verduras, que aliados ao consumo regular de água ajudam no trânsito intestinal.

➟  Quando o problema está associado a sangramento do ânus, perda de peso, anorexia e anemia é imperativo buscar ajuda médica.

Depois de conferir quais são as formas de acabar com o problema de flatulência, você pode optar por uma reeducação total e ter mais qualidade de vida.

Advertência

Não se automedique. Consulte um médico se os gases intestinais estiverem lhe causando algum constrangimento.


Fonte: Textual Conteúdo

Até a próxima


domingo, 17 de janeiro de 2016

Vantagens do limão na alimentação



O consumo do limão apresenta vários benefícios, desde sua característica de frescor até a sua ação desintoxicante. Essas vantagens se devem ao alto teor cítrico que a fruta possui, o que permite que gorduras e toxinas sejam facilmente dissolvidas no organismo. Mas quais são as outras vantagens do limão na alimentação?
www.emagrecerumdesafio.com
Imagem: Pixabay

A fruta não apresenta contra indicação, mas o melhor é consumir no máximo dois limões por dia. Claro que isso não significa que você deve comer limões puros. É possível beber suco natural, comer salada temperada com limão, entre outras opções.

Principais vantagens do limão na alimentação



Além das propriedades emagrecedoras, o limão também ajuda a diminuir o colesterol, a alcalinizar o sangue, a ativar o sistema imunológico e também a desintoxicar o organismo. Essas propriedades têm relação com o fato de que o limão é uma fonte rica de vitamina C, além de conter uma substância chamada de d-limoneno, presente na casca do limão. Essa substância ajuda no combate à depressão, à ansiedade, ao câncer e também ajuda a desentupir artérias e dissolver cálculos renais.

O limão costuma ser usado em florais e terapias como aromaterapia, para reequilibrar o organismo e a mente, por ser um grande ajudante no tratamento de diversas enfermidades, tanto físicas quanto psicológicas ou emocionais. Os ácidos presentes no limão contribuem para retardar a absorção de açúcar depois de realizar uma refeição. Uma curiosidade é que o suco de limão ajuda a digerir comida frita mais rápido. Por sua vez, o potássio presente nos limões ajuda a regular os fluidos corporais, além de contar com magnésio, que relaxa as artérias.

No controle da pressão arterial, o suco de limão se assemelha a alguns medicamentos de hipertensão. E outra das grandes vantagens do limão na alimentação é a presença de propriedades antivirais e antibacterianas. Por ser um expectorante, o limão geralmente é usado em medicamentos para a tosse, a fim de incentivar as vias com o intuito de expelir muco. Outro benefício diz respeito à redução da temperatura corporal, o que torna o limão excelente no verão.

Essa fruta também é rica em minerais, como sílica, cálcio, ferro, manganês e cobre. Além disso, o alimento é rico em vitaminas B1, B2 e B3, sendo recomendado na prevenção de doenças do sistema nervoso. Outra recomendação está associada à presença de ácidos que ajudam no bom funcionamento das glândulas endócrinas e evitam hemorragias, tão comuns em diabéticos e pessoas da terceira idade.

O consumo da fruta é recomendado ainda na prevenção de problemas no coração e sistema cardiovascular, por conseguir proteger as artérias. E o limão ainda apresenta propriedades antibióticas e antissépticas para o intestino, bem como ação laxante, que ajuda a regular os intestinos.

O limão também tem propriedades adstringentes que reduzem a formação de gases intestinais, evitando o inchado do intestino e do estômago. Enquanto isso, o consumo regular da fruta ajuda na liberação dos excessos de gordura corporal, evitando a formação de depósitos adiposos. O consumo diário contribui ainda evitando a formação de cálculos renais e na vesícula.


Fonte: PontoXP

Até a próxima


terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Principais vantagens de comer berinjela



Muita gente consome os diferentes tipos de berinjela em suas refeições sem nem imaginar quais são as vantagens, que pode ser clara, rajada ou escura. Entre as vantagens de comer berinjela estão sua capacidade de diminuir o colesterol, além de fornecer diversos outros benefícios à saúde.
www.emagrecerumdesafio.com
Imagem LifeStyle

O Centro de Investigação em Cardiologia da Universidade de Medicina de Connecticut, nos Estados Unidos da América, concluiu que as berinjelas, tanto cruas como assadas, têm uma ação cardioprotetora, aumentando a função do ventrículo esquerdo e reduzindo a tendência e a propensão para o enfarte do miocárdio.

Devido à sua composição nutricional, a berinjela é uma fonte de vitaminas e minerais. Para você ter uma noção, 100 gramas de berinjela crua contêm grandes quantidades de: magnésio, zinco, potássio, cálcio, ferro e fósforo. As principais vitaminas encontradas são as vitaminas A, B1, B2 e C.

Outra vantagem da berinjela é que ela apresenta uma grande quantidade de água em sua composição, o que garante uma boa hidratação com seu consumo, além de alta porcentagem de fibras. A berinjela também apresenta poucas calorias, o que ajuda quem está tentando controlar ou diminuir o peso.

Além de conter esses vários compostos, a berinjela ainda apresenta diversos fenóis que agem como antioxidantes no organismo. Os fenóis possuem atividade anti-inflamatória e evitam a aglomeração de plaquetas sanguíneas. A berinjela também consegue inibir a ação dos radicais livres no organismo para proteger as moléculas de DNA e prevenir processos carcinogênicos.

Alguns mitos sobre a berinjela

Apesar de ter muitos nutrientes e vitaminas, nenhum estudo científico chegou a comprovar que o consumo frequente de berinjela ajuda a diminuir o colesterol. Também foram feitos testes para comprovar a eficácia da berinjela misturada ao suco de laranja, para efeitos sobre os níveis plasmáticos de colesterol total e suas frações LDL, VLDL e HDL, bem como de triglicérides. Mesmo que os resultados dos testes tenham sido inconclusivos, recomenda-se o consumo frequente da berinjela, em virtude de seus nutrientes.

Composição da berinjela

A berinjela apresenta uma boa quantidade de nutrientes importantes para manter condições de saúde satisfatórias. Entre os nutrientes que compõem a berinjela estão o magnésio, que atua na constituição dos ossos e dentes; o zinco, que atua no crescimento e ainda ajuda no desenvolvimento do sistema imunológico; o potássio, que ajuda na contração muscular; o cálcio, importante para a formação dos dentes e ossos, além da transmissão de impulsos nervosos; as vitaminas B1 e B2, importantes para o metabolismo; a vitamina C, que atua como antirradical livre, facilitando a absorção do ferro e da glicose e age na fabricação dos neurotransmissores.

Fonte: PontoXP, LifeStyle

Até a próxima


domingo, 6 de dezembro de 2015

Benefícios de consumir espinafre



O consumo do espinafre é um hábito que traz vários resultados positivos. O combate à osteoporose, ao câncer, a doenças cardíacas, à artrite e a diversas outras doenças são os principais benefícios de comer espinafre. Porém, existem outras vantagens, que estão listadas abaixo.

 title=
Imagem Pixabay

Espinafres possuem flavonoides

Existem no espinafre 13 compostos diferentes de flavonoides, que atuam no nosso organismo como antioxidantes e como agentes anticancerígenos. Essas propriedades anticancerígenas do espinafre permitiram e estimularam a criação de extratos de espinafre especializados. Tais extratos foram usados para abrandar a divisão celular nas células de câncer no estômago.

Espinafre no combate ao câncer de próstata

Os espinafres também contêm carotenoides, que ajudam no combate ao câncer de próstata de duas diferentes formas. A substância neoxantina induz as células cancerosas a se autodestruírem e também as convertem. No intestino, essa substância do espinafre coloca as células cancerosas em estado de êxtase, o que impede sua replicação.

Espinafre garante ossos mais fortes

O espinafre fornece a vitamina K, numa quantidade que equivale a quase 200% do valor diário recomendado para o consumo humano, ingerindo apenas uma xícara de folhas de espinafre fresco. Se a medida for a mesma, mas de espinafre cozinhado, esse valor sobre para 1000%.

O consumo dessa vitamina ajuda a garantir a saúde dos ossos. Além disso, a vitamina K1 ajuda na prevenção de células que destroem o osso. O espinafre é uma fonte excelente de outros nutrientes importantes para a estrutura óssea, como o magnésio e o cálcio.

Proteção cardiovascular

Outro benefício do consumo de espinafre está em sua força no combate à aterosclerose e também à doença cardíaca diabética. Em número de nutrientes úteis, poucos alimentos se comparam ao espinafre, que é uma boa fonte também de vitamina C e vitamina A, que concentram boas doses de beta-caroteno, importantíssimo para reduzir a quantidade de radicais livres no organismo, além de ajudar a prevenir que o colesterol oxide. Quando isso ocorre, o colesterol pode se fixar e alastrar nas paredes dos vasos sanguíneos, podendo resultar em derrames ou ataques cardíacos pelo bloqueio das artérias.

Saúde gastrointestinal

Outro benefício do espinafre é que a vitamina C e o beta caroteno que ele oferece ajudam ainda a proteger as células do cólon dos efeitos prejudiciais dos radicais livres. Além disso, o espinafre contém ácido fólico que contribui para evitar danos e mutações nas células do cólon, mesmo que elas sejam expostas a substâncias cancerígenas.

Cérebro mais ativo

O espinafre pode também ajudar a proteger o cérebro do estresse oxidativo, assim como reduzir os efeitos do envelhecimento da população, que tem uma relação direta com a função cerebral. Além disso, o consumo frequente de espinafre pode resultar em uma melhora significativa das capacidades de aprendizagem e habilidades motoras.

Inspire-se no Popeye e inclua mais espinafre nas suas refeições, para desfrutar dos benefícios de comer espinafre.


Fonte: PontoXP


Até a próxima


domingo, 25 de outubro de 2015

Alimentos que enganam a fome


Ainda não chegou a hora do almoço, mas o seu estômago já está roncando? Comer com muita fome nunca é o ideal, porque dessa forma, o organismo suga todas as calorias dos alimentos. Por isso, é sempre indicado que se façam pequenos lanches antes das refeições para segurar a fome. Essa dica, por consequência, ajuda você a perder uns quilinhos, já que nunca vai cometer exageros durante as refeições.
www.emagrecerumdesafio.com
Imagem: Altervista

Quais são os alimentos que enganam a fome



Para saber como enganar a fome sem estragar a próxima refeição, como se costuma dizer, ou seja, para que a fome não seja eliminada por completo e faça você “queimar” uma das principais refeições do dia, basta optar pelos alimentos que enganam a fome. Esses alimentos também ajudam a saciar a fome mais facilmente, com a vantagem que você pode ingeri-los em menor quantidade para ficar mais satisfeito.

Entre eles, os melhores são:

Líquidos: os líquidos, em especial a água, ajudam a segurar a fome porque estabilizam a circulação sanguínea e o transporte dos nutrientes. Por isso, beba muita água, chás e coma fruta. Água nunca é demais, inclusive, sendo necessário ingerir ao menos dois litros diariamente. Ela também é perfeita para disfarçar a fome, porque enche o estômago e hidrata o corpo. Uma dica é tomar um copo de água antes das refeições para dar sensação de maior saciedade.

Chás: no inverno, são outra boa pedida, sendo que o de camomila é um dos melhores calmantes e você pode tomá-lo entre as refeições para controlar a ansiedade. O chá verde, além de ajudar na perda de peso, oferece saciedade. No entanto, nenhum deles deve ser ingerido em excesso. O de camomila pode baixar a pressão e o verde eliminar os nutrientes do organismo.

Carboidratos: eles sabem como enganar a fome, mas entre as refeições você pode ingeri-lo por meio dos cereais integrais, frutas e vegetais. Cenoura, pepino, tomate e palmito servem como deliciosos lanches.

Nozes: elas possuem a Vitamina B1 (tiamina), que ajuda as células do sistema nervoso central a funcionarem, o que vai ativar o metabolismo da glicose e, dessa forma, prolongar os períodos sem que sintamos fome. Cereais integrais, farinhas de aveia, germe de trigo e leguminosas também possuem esse nutriente.

Aveia: é rica em ferro, nutriente essencial no transporte de oxigênio para o cérebro e para a sensação de saciedade. Assim, você pode fazer um mingau de banana e aveia enquanto espera o almoço ficar pronto. O ferro também está presente no feijão, espinafre, lentilha, germe de trigo e na carne vermelha.

Frutas secas: ricas em fibras, que mantem o efeito de saciedade por muito mais tempo. Assim, “belisque” algumas ameixas, damascos e uvas passas durante a tarde.


Fonte: PontoXP

Até a próxima


domingo, 18 de outubro de 2015

Sucos naturais podem engordar?


Muitas pessoas querem saber quais são os sucos naturais que engordam ou porque estão fazendo uma dieta para ganhar alguns quilinhos ou, ao contrário, querem evitá-los para não aumentar o peso. No entanto, os sucos para engordar não existem, pois o sumo natural das frutas não aumentam o peso, a não ser que sejam ingeridos excessivamente.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto:Pixabay
O que acontece é que existem frutas que possuem mais calorias e, por consequência, o seu suco também. Porém, eles são ricos em valor nutricional, contendo vitaminas e minerais importantes para o bom funcionamento do organismo. Mesmo que você esteja querendo perder peso não deve ficar sem ingeri-los.

Benefícios dos sucos naturais


Uma dica para quem está em dieta para emagrecer é dar preferência aos sucos de frutas que possuem menos calorias. Entre seus benefícios, os sucos são diuréticos e atuam em todos os processos metabólicos do organismo. Enquanto alimentam, a sua água controla a temperatura corporal, transporta as fibras que estimulam o intestino a trabalhar e retiram as toxinas do organismo, resultando em uma pele mais bonita e cabelos mais brilhantes.

Em geral, esses alimentos, mesmos os supostos sucos para engordar, são grandes fontes de vitaminas, principalmente, a C, presente nas frutas cítricas. Há também os sucos de hortaliças, que ajudam o organismo na absorção dos nutrientes mais rapidamente, sendo outra ótima opção de alimentação.

Quando se fala em sucos, os naturais são as melhores opções, pois os de “caixinha” possuem aditivos químicos, conservantes e, devido ao processo de pasteurização, são perdidos muitos nutrientes.

Calorias sucos naturais

Para saber quais são os sucos que sucos naturais que engordam menos, confira a calorias sucos naturais para cada 240 ml, aproximadamente um copo médio sem açúcar:

Suco de laranja: 139,20

Suco de laranja, cenoura e beterraba: 136,80

Suco de abacaxi: 63,40

Suco de goiaba: 63,40

Limonada:61,00

Suco de manga: 56,20

Suco de morango: 56,20

Suco de mamão: 51,40

Suco de cupuaçu: 46,60

Suco de melão: 41,80

Suco de beterraba: 41,80

Suco de maracujá: 24,00

Suco de acerola: 22,60

Quando beber sucos naturais

Os sucos podem ser ingeridos em qualquer hora do dia, em especial, em jejum, quando o estômago vazio vai ter mais facilidade em absorver os seus nutrientes. Os sucos também podem ser bebidos entre as refeições, como lanches e acompanharem um biscoito integral ou barra de cereais. Por outro lado, não é indicado a sua ingestão logo após as refeições ou mesmo durante elas, pois o suco atrapalha a digestão, além de dar a sensação de barriga estufada. Nesse momento, inclusive, os nutrientes dos sucos não serão absorvidos em sua totalidade.

Fonte: Textual Conteudo


Até a próxima


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O efeito sanfona prejudica a saúde e a autoestima



Na ânsia de emagrecer, muitas pessoas aderem a uma série de dietas, mas que nem sempre conseguem levar por muito tempo, ainda mais se forem os cardápios restritivos em demasia. Dessa forma, mesmo que percam alguns quilos, os ganham novamente assim que voltar a se alimentar como de costume. Esse ganho e perda de peso frequente é o que se chama de efeito sanfona.
www.emagrecerumdesafio.com
Fonte da imagem

E você faz ideia de como o efeito sanfona prejudica a saúde?



O mais indicado quando é necessário perder peso, é fazer uma reeducação alimentar, que não será radical e vai ajudar a pessoa a ter melhores hábitos alimentares a longo prazo. Os resultados podem ser mais demorados a se perceber, mas também serão mais duradouros e só vão garantir benéficos à saúde. Além disso, é preciso entender como o efeito sanfona prejudica a saúde. 

Além de afetar a autoestima, o efeito sanfona também conhecido como fenômeno ioiô popularmente e na medicina como ciclismo de peso, deixa o organismo mais propenso a algumas doenças. Ele provoca mudanças no metabolismo, influenciando o armazenamento de energia.

Como evitar efeito sanfona é tão importante que alguns médicos, embora isso não seja uma unanimidade, afirmam que é melhor estar com o peso acima do desejado do que passar pela redução e aumento de peso constante. Estudos relacionam o fenômeno ioiô com o risco maior de câncer renal em mulheres na pós-menopausa.

Outro problema associado à saúde de quem passa pelo efeito constantemente é a hipertensão e a pré-eclâmpsia (hipertensão grave durante a gravidez). Mudanças de humor, ansiedade e depressão também são mais comuns em quem passa pelo ciclismo de peso.

Isso ocorre porque quando o indivíduo faz uma redução muito drástica na quantidade de calorias ingeridas acontece uma diminuição do nível de leptina no sangue e um aumento nas concentrações de grelina. Enquanto a leptina é um hormônio produzido no tecido gorduroso, que leva ao cérebro sinais de saciedade, a grelina é uma substância produzida no estômago que informa a sensação de fome para o cérebro.

Quando a pessoa faz uma dieta radical, portanto, os níveis dessas substâncias no organismo mudam radicalmente e como eles atuam na regulação do metabolismo, o resultado disso são as alterações no mesmo. Além disso, como evitar efeito sanfona é fundamental porque o organismo está programado para evitar a falta de alimentos e quando ele percebe que o indivíduo não se alimenta, prevendo um problema de inanição, protege-o facilitando o armazenamento de calorias, ocasionando o ganho de peso.

Fonte: Textual Conteudo

Até a próxima