Mostrando postagens com marcador Carne. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Carne. Mostrar todas as postagens

sábado, 2 de dezembro de 2017

10 alimentos que causam mau hálito



É bem sabido que uma fraca higiene bucal e a consequente proliferação bacteriana estão entre as causas da halitose. No entanto, mesmo indivíduos sem patologias particulares e atentos à sua boca podem sofrer. Estima-se que este distúrbio afeta mais de 20% da população. A principal causa? Alimentos ingeridos: aqui estão os principais.

Jejum
Parece estranho, mas mesmo a ausência de comida pode causar um mau cheiro na respiração. Um exemplo? Pela manhã.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Alho
Também será um antibiótico natural, mas seus efluentes são muitas vezes "mortais". A solução? Uso moderado e de preferência frito.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Cebola e alho-poró
Dois outros elementos que dão à respiração um cheiro intenso. Aqui também, o conselho é um uso moderado,  após o cozimento.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Caril
O pó amarelo ocre é realmente um ingrediente muito "perigoso" para a respiração. Na verdade, é criado a partir da mistura de especiarias, incluindo pimenta caiena, coentro, dentes de  alho, cardamomo, feno-grego, canela, pimentos, cebola e gengibre: o que esperávamos?
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Molhos
Dá aos pratos um sabor incrível, devido à presença de alho, cebola e especiarias. Mas convém prestar melhor atenção aos ingredientes.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Café
O café retarda a produção de saliva. Um remédio natural para a eliminação de bactérias na boca, o conselho é, como no sul da Itália, beber um copo de água após o café.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Queijo
O problema é muito mais comum em indivíduos intolerantes à lactose.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Carne
Uma alimentação rica em lipídios (alimentos gordurosos) resulta em altos níveis de acidez que produzem um cheiro desagradável no hálito. É melhor tomar muitos líquidos durante e após o consumo.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Vinho
Inibe a formação de saliva na boca, desidratando a cavidade oral e consequentemente causando halitose. 
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Açúcar
Treats, bolos e doces  promovem a proliferação bacteriana. Escove os dentes após o consumo.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Pimentões, repolho, brócolis
Alguns vegetais com sabor intenso podem gerar halitose.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay
Remédios para a halitose
A higiene bucal diária é fundamental. Coma legumes frescos e fibrosos, como cenouras e erva-doce. Beba muitos líquidos. Para as "emergências", o método antigo de goma de mascar continua a ser válido e acima de tudo uma pequena garrafa de água próxima à mão.
www.emagrecerumdesafio.com
© Pixabay

Fonte: MSN/Saúde

Até a próxima


sábado, 1 de outubro de 2016

As diferenças entre dietas vegan e vegetariana


Ser vegetariano não é o mesmo que ser vegan. Sendo duas dietas parecidas, uma é mais restrita do que a outra, indo a vegan mais longe nos ideais de respeito e defesa dos animais. Para que nunca mais ofereça um omelete a um vegan, ou peixe a um vegetariano, vamos explicar-lhe as diferenças entre as duas.
 title=
Foto: Getty Images

O vegetarianismo e o veganismo são duas opções alimentares de bases parecidas. No entanto, divergem em termos de posicionamento, já que os vegetarianos excluem carne e peixe, mas não produtos de origem animal, uma vez que consomem, por exemplo, ovos, laticínios e mel. Já os vegans excluem tudo o que é de origem animal da sua alimentação e também da roupa, produtos de higiene e detergentes. São ainda contra todo o tipo de exploração animal (touradas, circos com animais, jardins zoológicos, pesca, caça, etc.) e boicota produtos testados em animais. Se optar por um destes estilos de vida, está a contribuir para que haja menos poluição e sejam gastos menos recursos.

A maioria das pessoas decide ser vegetariana para evitar a morte de animais, que consideraram ser desnecessária, mas também há quem opte por este tipo de alimentação devido a problemas de saúde, crenças religiosas ou espirituais, entre outras.

Embora com pontos comuns, uma é muito mais restritiva que a outra. Saiba mais sobre estes dois tipos de dietas e aprenda a distingui-las.

Vegetarianismo

Nesta opção alimentar não entra nenhum tipo de carne ou peixe. Nem sequer atum em lata e bacalhau. No entanto, a dieta vegetariana tem uma grande variedade de alimentos saudáveis e saborosos, sendo que muitos pratos étnicos, principalmente da cozinha indiana, são vegetarianos. O vegetarianismo não faz mal à saúde se a alimentação for administrada com vários alimentos, como frutas, verduras e legumes. Os vegetarianos comem:

• Ovos.
• Lacticínios.
• Outros produtos de origem animal, como o mel.

Existe várias vertentes da dieta vegetariana, entre as quais

• Dieta ovo-vegetariana: inclui ovos.
• Dieta lacto-vegetariana: inclui lacticínios.
• Dieta api-vegetariana: inclui mel.

A dieta vegetariana, desde que bem planejada, é adequada para todas as idades, segundo a Associação Dietética Americana. 

Veganismo

Esta opção não é apenas alimentar. O veganismo é um modo de vida, uma vez que os vegans recusam não apenas a ingestão de alimentos derivados de animais, mas também a utilização de produtos que contenham qualquer parte animal, como roupas ou objetos em pele ou, muitas vezes, até lã.

Assim, os vegans não consomem

• Ovos.
• Lacticínios.
• Mel.
• Gelatina de origem animal.
• Qualquer alimento que contenha ingredientes derivados de animais.


Ao optar por se tornar vegan, há que ter alguns cuidados: tomar alguns suplementos vitamínicos, como vitamina B12, que se encontra na carne e noutros produtos de origem animal e ferro. Apesar do ferro estar disponível também em muitos produtos de origem vegetal, a sua absorção por parte do organismo humano não é tão eficiente quanto o ferro fornecido por produtos de origem animal.

Devem encontrar-se boas fontes de proteína e a substituição da carne e peixe não deve ser feita por alimentos ultra processados. As leguminosas misturada com cereais integrais, podem ser uma opção em termos proteicos, não colmatando as deficiências em vitamina B12 e ferro.

Fontes: Centro Vegetariano, Pingo Doce


Até a próxima