sexta-feira, 24 de junho de 2016

Recomendações para ter êxito em dietas


Existem muitas dietas diferentes em revistas, Internet e jornais, sendo que se estão publicadas, é porque para alguém funcionou. No entanto, nem todas as dietas combinam com todas as pessoas, inclusive, as bastantes restritivas. Essas, aliás, não são indicadas, e no caso de serem feitas, o melhor é que não dure mais de uma semana – a primeira entre as recomendações para ter êxito em dietas.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto Pixabay
Cardápios que eliminam grupos alimentares do dia-a-dia podem, inclusive, fazer mal para a saúde e se você pratica atividade física, é melhor não iniciá-las, uma vez que ao fazer exercícios o corpo deve estar bem nutrido. Caso contrário, apenas se perde massa corporal (músculos) e não gordura.

Confira outras recomendações para ter êxito em dietas e perca os quilos que deseja.

1. Reeducação alimentar: é possível como obter êxito com dietas quando escolhemos cardápios equilibrados que podemos seguir por um bom tempo. Assim, não estaremos apenas fazendo uma deita para emagrecer, mas sim, uma reeducação alimentar. Dietas que propõem uma grande variedade de alimentos, na medida certa, são as mais indicadas.

2. Não sinta fome: sentir fome não é uma maneira de como tornar dietas mais eficientes. Se você está acostuma a comer sempre muito e de repente de jogar de cara numa dieta com muito menos calorias se comparado ao que você costuma comer, é bem possível que ela não dure muito. Na hora de reeducar a alimentação, é preciso ir aos poucos, o que também não vai aumentar a sua ansiedade, uma das causas da compulsão alimentar.

3. Seguir a risca: quando escolhemos dietas mais equilibradas fica mais fácil segui-las a risca, sendo que isso é muito importante para que tenhamos os resultados desejados. Determinação e força de vontade também são essenciais, por isso, não adianta emagrecer apenas porque os outros querem.

4. Comer menos com mais frequência: outra forma de como obter êxito com dietas é diariamente realizar de cinco a seis refeições, sendo que três são as principais e as demais são pequenos lanches. No entanto, mesmo no café da manhã, almoço e jantar é preciso servir porções menores do que o de costume. Assim, seu organismo não chega a sentir fome e a ansiedade vai embora.

5. Variações: por fim, como tornar dietas mais eficientes mesmo se você siga uma dieta a risca é importante que encontre opções para substituir os alimentos. Tornando o cardápio mais variado, a dieta não enjoa e mesmo para o organismo faz um bem maior, assim, o metabolismo não baixar demais, o que pode causar uma estagnação na perda de peso.


Fonte: Textual Conteúdo

Até a próxima


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Alergia a camarão e a frutos do mar




É muito comum nos adultos e pode se manifestar de várias formas, que vão desde uma simples coceira até quadros de emergência.
 title=
Imagem Pixabay

A reação alérgica ocorre porque o organismo reage ao alimento com produção de um anticorpo, chamado de imunoglobulina E (IgE), que ataca uma proteína contida nele, originando os sintomas da alergia, em minutos ou em algumas horas após a ingestão do alimento.

A maior parte destas reações a camarão tende a ser leve ou moderada, sendo os sintomas mais comuns a coceira, placas vermelhas na pele, mal estar, inchaço nos olhos, lábios, boca e garganta. Em alguns casos mais raros, pode evoluir de forma grave surgindo uma reação extrema chamada de anafilaxia (também conhecida como choque anafilático), que envolve diversos sistemas do organismo: circulatório, respiratório, imunológico, resultando numa reação grave e necessitando de atendimento de emergência. Neste caso, a pessoa pode apresentar urticária, vermelhidão na pele, chiado no peito e cansaço, tosse, espirro, náusea, dor abdominal, vômitos e coceira no corpo, dificuldade para respirar, queda na pressão arterial, podendo ser uma ameaça à vida.

O diagnóstico de uma pessoa com este tipo de alergia é: 


Se uma pessoa tem suspeita de ser alérgica a camarão deve procurar um médico especialista em Alergia (alergologista) que irá analisar sua história clínica, a reação apresentada e realizará testes para comprovar o diagnóstico.

Os testes são realizados pelo especialista utilizando bateria padronizada de alimentos por método de puntura realizado no antebraço e o resultado é imediato, após 15 a 20 minutos. A resposta positiva indica a presença da IgE (imunoglobulina E) para o alimento. Em algumas pessoas, pode-se utilizar também a dosagem da IgE específica para camarão feita no sangue e realizada em laboratórios especializados.

Lembrando que a alergia ao camarão não surge no primeiro contato e, por este motivo, a pessoa pode ingerir o alimento por diversas vezes antes de apresentar a alergia. Outro ponto importante é quem manifesta alergia a camarão, tende a fazer também para outros crustáceos e por isso deve evitar não só o camarão como também siri, lagosta, mariscos, entre outros. Em geral, não há problema na ingestão de peixes.


Referências: Ponto XP

Até a próxima