domingo, 29 de maio de 2016

O que o álcool faz ao seu corpo



Já todos ouvimos dizer que um copo de vinho faz bem ao coração, Mas todos os órgãos sofrem quando o consumo é excessivo.

www.emagrecerumdesafio.com
Imagem Pixabay
Mensagens erradas

O perigo do álcool está no fato de se tratar tanto de um depressor como também um estimulante indireto. O álcool afeta a química cerebral, ao alterar os níveis de neurotransmissores (moléculas que fazem a comunicação entre os neurônios). É o mesmo que dizer que o álcool altera o controle dos processos, dos comportamentos e das emoções, criando excitação ou inibição.

E, se em pequenas doses causa excitação e euforia, em excesso funciona como um depressivo; provoca mudanças de humor e de comportamento, dificulta a clareza de raciocínio e até a coordenação. Prejudica mesmo a formação e desenvolvimento de novos neurônios.

E o pâncreas também sofre

O álcool pode provocar inflamação do pâncreas (pancreatite), causando destruição do tecido e, em consequência, das células que produzem insulina, o hormônio que, quando não é produzida em quantidade suficiente, abre a porta à diabetes. Há ainda o risco de câncer.

Coração em risco

Com o álcool, o coração é obrigado a um maior esforço para bombear o sangue. A pressão arterial aumenta e, com o tempo, pode desenvolver-se uma condição designada por cardiomiopatia - isto é, os músculos do coração ficam mais relaxados e fracos e, portanto, menos eficientes. No limite, podem ocorrer situações como um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral.

Fígado é impedido de funcionar bem

O fígado é o órgão que se associa de imediato ao consumo de álcool, E assim: há o risco de hemorragias, de inflamação e posterior desenvolvimento da chamada hepatite alcoólica, bem como o risco de cirrose, doença que se caracteriza pela substituição do tecido saudável por tecido cicatrizado, o que impede o funcionamento do fígado e pode conduzir à morte.

Câncer à vista


Além do câncer do pâncreas, há outros cujo risco aumenta com o abuso de bebidas alcoólicas: é o caso de todos aqueles que envolvem as partes do corpo em contato com o álcool, como a boca, a laringe, a faringe e o esôfago. O risco aumenta quando se é também fumante.

Fonte: Revista PH

Até a próxima


terça-feira, 24 de maio de 2016

Atividade física e envelhecimento


O envelhecimento não é um estado, é um processo natural e irreversivelmente progressivo pelo qual todos os seres humanos passam.
www.emagrecerumdesafio.com
Foto: Shutterstock

Neste âmbito, surge um conceito muito interessante: o envelhecimento ativo.

A noção de envelhecimento ativo abrange todos os domínios: o físico, o mental e o social. E inclui as tarefas congnitivas, os encontros sociais e as atividades físicas que se decide fazer, de forma a promover o aumento da autonomia, do bem-estar e da qualidade de vida.

Os benefícios e impacto positivo da prática regular de exercício físico são de tal forma abrangentes na vida das pessoas mais idosas, que se tornaram numa marca constante do discurso médico a cada consulta. Se pensarmos que é um meio para melhorar a força, o equilíbrio, a coordenação, a flexibilização, a resistência, a saúde mental, o controle motor e a função cognitiva, facilmente percebemos a razão.

Reforce a musculatura

Sabia que as quedas são a maior causa de incapacidade? O reforço muscular e o desenvolvimento do equilíbrio são capacidades essenciais, que um plano de exercício orientado ajuda a desenvolver e que podem contribuir, de forma muito efetiva, para minimizar o risco de quedas.

Combata a solidão

Quando as pessoas optam por se aposentar é natural que surja uma tendência para algum sedentarismo e isolamento. A prática de uma atividade física poderá ser um importante aliado na adaptação a novas rotinas. E é igualmente relevante ao nível da motivação e sentimento de conquista.

Experimente

Comece com 30 minutos de marcha ou outro tipo de atividade aeróbica (contínua ou acumulada durante o dia).

Pelo menos duas vezes por semana, inclua exercícios de promoção de força muscular. Em academia, opte por exercícios em equipamentos de musculação com carga adequada; em casa ou no exterior, use o peso corporal.

Qualquer exercício a que se proponha deve ser divertido. Por que não reunir um grupo de amigos ou familiares, em dois ou três horários durante a semana? Também pode optar por aulas de grupo na academia.

Deve sempre iniciar a sua atividade física com um bom aquecimento e terminar com um plano de alongamentos. Ambos são imprescindíveis para o aumento da sua mobilidade e autonomia.

Fonte: Saúda

Até a próxima